sexta-feira, 4 de julho de 2008

A idade do Ouro (França,1930,60 mins)
Minha nota: [9,0] -
Por Wendell Borges - 04/07/2008

Comentário: A idade do Ouro do diretor Luís Buñuel (1900-83) tem a intenção de chocar, causar polêmica em torno das instituições burguesas, incluindo é claro a Igreja Católica. Em muitos momentos do filme há imagens de corpos de sacerdotes sempre sofrendo o repúdio do personagem amoral da história, que chuta um cego, atraca-se com uma mulher em público e esbofeteia a mãe desta numa festa só porque ela derramou-lhe vinho na camisa. Bunuel era adepto do manifesto surrealista e utilizou a sétima arte para mostrar seu repúdio à burguesia e à hipocrisia moral de uma sociedade que ainda hoje mascara-se e se auto-engana. No início do filme são mostrados vários escorpiões duelando e explicações de como eles utilizam sua cauda e seu veneno, além do fato de repudiar aqueles que tentam incomodar sua solidão. Penso muito sobre o fato de que na sociedade capitalista na qual vivemos a individualidade é intensificada e os desejos são trabalhados pela mídia para cada um acumular seus bens, sendo que ao vermos mendigos pedindo nas ruas, bêbados ou pessoas à margem da sociedade tratamos elas com olhares frios e desumanos por sabermos que elas não poderão usufruir da indústria cultural e consumista. Pensamos então: O que podemos fazer para que esta desigualdade não seja tão grande ou que o ser humano aprenda a controlar sua angústia, depressão e sentimento de solidão? No final do filme há uma clara cena atacando a figura de Jesus Cristo em um castelo. É ver para conferir. O filme é indicado apenas para amantes da sétima arte ou pessoas que tenham paciência com o cinema mudo e em preto e branco. As pessoas acostumadas às telenovelas da globo e aos filmes pipoca de Hollywood talvez não terão paciência de assistir.

Outro(s) filmes de Bunuel comentados neste blog:
Um cão andaluz

Surrealismo: puro automatismo psíquico através do qual se deseja exprimir verbalmente ou por escrito a verdadeira função do pensamento. Pensamento ditado na ausência de qualquer controle exercido pela razão, fora de toda preocupação artística ou moral. Portanto, que não pretende ter sentido. (Definição de Surrealismo colocada antes do filme iniciar)

Temas: Moral, Ética, Religião, Burguesia
Assunto: Um homem amoral nomeado Delegado de uma cidade começa a demonstrar seu repúdio à hipocrisia social.
Mensagem ou reflexão: vale a pena lutar por uma sociedade que amplie a liberdade do ser humano sem amarras sociais ou religiosas? Que tipo de sociedade nasceria desta liberdade?


Sinopse: "A Idade do Ouro" é uma sucessão de imagens surrealistas, o filme mostra, depois de um prólogo-documentário sobre escorpiões, quatro arcebispos que se instalam num rochedo. Os bandidos são alertados e encontram quatro esqueletos com mitra. Desembarcam os fundadores da Roma imperial. A cerimônia é perturbada por um casal que faz amor e depois é separado. Uma jovem encontra uma vaca deitada em seu leito. Numa recepção, uma carruagem atravessa a sala. Os dois amantes se reencontram no parque. Intervenção de um maestro. Saída de uma orgia dada pelo conde de Blangis no castelo de Selliny. O conde com a cabeça de Cristo mata uma sobrevivente. Cabeleiras de mulher aparecem sobre uma cruz coberta de neve.


Ficha Técnica: Título original: L´Âge D´Or (França, 1930)Diretor: Luís Buñuel- Elenco: Lya Lys, Gaston Modot, Lionel Salem, Pierre Prevért, Jacques Brunius, Paul Éluard, Valentino HugoIdioma: MudoDuração: 67 min. Preto-e-brancoGênero: ExperimentalExtras: galeria de quadros e imagens, "O Movimento Surrealista", "Buñuel fala sobre 'Um Cão Andaluz'", biografias de Dalí e Buñuel, depoimentosDistribuidora: Versátil.
_____________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário