segunda-feira, 14 de julho de 2008

A TRILOGIA DA INCOMUNICABILIDADE

A Aventura (L'Avventura,Italia,1960,143 mins)
Minha nota:
Por Wendell Borges - 14/07/2008

Comentário: Este é o primeiro filme da Trilogia da Incomunicabilidade do Mestre Michelangelo Antonioni (1912-2007), apesar dos filmes não serem continuações, apenas abordarem as mesmas temáticas o próprio diretor considerou esta possibilidade de tratar-se de uma trilogia na qual ele queria aprofundar-se na reflexão sobre a existência humana, a questão dos relacionamentos e o tédio.

Neste primeiro filme temos o início angustiante quando uma jovem chamada Anna (Lea Massari - hoje com 75 anos) viaja de Iate com o noivo Sandro (Gabriele Ferzetti - Hoje com 83 anos) e alguns amigos ricos para um passeio pelas costas da Sicília visitando algumas ilhas. Em uma delas Anna desaparece e tem início uma angústia que permeia todo o filme.

A atriz Monica Vitti( hoje com 77 anos) que participa dos outros filmes da trilogia, A noite (1961) e O Eclipse (1962) aqui faz o papel de Claudia,amiga de Anna e que nos acontecimentos posteriores da trama acaba se apaixonando por Sandro, os dois começam um romance. O destaque do filme além da bela fotografia que tem seus melhores momentos nas imagens e nos planos filmados na ilha é com certeza as reflexões que ele nos proporciona, a principal para mim, pois concordo plenamente com que é mostrado no filme é o vazio que sinto pela distância de comunicação entre as pessoas, não falo isto de conversas triviais, mas de uma comunicação verdadeira, reflexiva, pensante, que faça com que vejamos as coisas de modo mais profundo, mais intenso, enfim, mais vívido.

Outra reflexão que o filme nos proporciona é a seguinte e uma das mais intensas, por que me envolver em uma relação na qual a pessoa me trate com o mesmo desprezo que o mundo já me trata e porque será que apenas o amor erótico, ou pelo menos, por que com mais intensidade é Eros quem provoca a maioria das brigas entre os casais? Denso, com narrativa extremamente lenta mas que tem todo um lirismo que infelizmente ficou para trás nos clássicos, este filme assim como toda a trilogia é sem dúvida passagem obrigatória para todos nós amantes da sétima arte.

Obs 1 - Retirei o trecho abaixo deste excelente artigo (link aqui) sobre a trilogia da incomunicabilidade entre tantos outros que li para conceber este breve e sincero comentário das impressões que o filme me causou, pois sempre procuro expressar o que senti apesar de quê valorizo e respeito a opinião de pessoas que já cursaram cinema e que estudam e vivenciam a sétima arte:

“Antonioni não concebeu os três filmes como uma trilogia, mas eles foram assumindo essa forma e, ao fazer o terceiro, o cineasta esclareceu o falso mistério que cerca Ana no primeiro filme . O Eclipse de que trata o filme é o da espécie humana. No mundo sem amor, sem comunicação, as pessoas somem na última cena e fica só o cenário da cidade, num entardecer que expõe a desolação do mundo desumanizado . Ana desaparece no primeiro filme pelo mesmo motivo. Outro diretor, um cineasta de Hollywood, por exemplo, talvez usasse o fato para uma enquete do tipo policial . A de Antonioni é existencial e isso faz toda a diferença”.

Obs 2: Nesta parte destaco um trecho observado por Demetrius Caesar do site Cineplayers (link): Entre as cenas que poderíamos chamar de chocantes são os atos mesquinhos cometidos pelos endinheirados sem explicação, apenas por tédio. Um deles deixa cair um vaso histórico e valioso. Sandro derruba a tinta de um pintor só para iniciar uma briga. Nenhum deles deixa de freqüentar a festa à noite, mesmo sabendo que a amiga poderia estar morta naquele momento ou precisando da ajuda deles.


Veja os comentários dos outros filmes da trilogia:

Sinopse: Durante um cruzeiro com amigos, uma jovem burguesa desaparece sem deixar rasto. O noivo, acompanhado da melhor amiga da jovem desaparecida, procura a menina servindo-se desse álibi para a progressiva aproximação entre os dois. Mas os sentimentos entre eles parecem ser incertos ficando o consolo perante um isolamento incessante.



PRIMEIROS DIÁLOGOS DO FILME E ALGUMAS ANOTAÇÕES QUE FIZ ENQUANTO ASSISTIA (Wendell Borges)

1 - "Logo esta pobre vila será sufocada. E pensar que já houve uma floresta aqui uma vez. Tudo será casas. Sim, não há nenhum lugar para fugir." Assim começa A Aventura, estes são os primeiros diálogos
2- Anna (Leas Massari) pula na água, ela é a primeira a aparecer no filme.
3 - Basiluzzo - o nome de uma das ilhas
4 - Basiluzzo...soa como o nome de um peixe (Vitti)
5 - Lisca Bianca, outra ilha? (Raimondo)
6 - Patricia chama seu cão cosimo, um cão magricela que aparece em alguns momentos cuja raça não sei qual é.
7 - Sandro pula na água e pergunta-se quem falou que o homem não veio do mar nas suas origens.
8 - Anna inventa que viu um tubarão e causa um alvoroço,ela confessa a Claudia depois que todos voltam para o barco.
9 - Há uma cena em que Raimondo pega nos seios de Patrizia, mas passando a mão por dentro do vestido, nada é mostrado.
10 - Giulia é a outra garota com o grupo casada com o velho corrado (James Addams)
11 - Sandro e Anna estão para se casar, mas ela parece não querer
12 - Giulia e Corrado não se comportam como se estivessem casados. Ele já é bem mais velho que ela.
13 - Reparem na imagem aos 33:05 quando o diretor movimenta a câmera que sai de Claudia gritando o nome de Anna e focaliza alguns rochedos que parecem uma mulher caída. Eu tive a impressão de ser Anna lá, mas quando a câmera para aí percebemos que não era bem aquilo.
14 - Corrado, Sandro e Claudia decidem ficar na ilha par continuar procurando enquanto os outros vão até a cidade pedir ajuda à polícia
15 - um velho entra na casa onde Sandro,corrado e claudia estavam dizendo que os donos da casa estavam na Australia e então mostra parentes em fotos pregadas na parede falando em ingles. Ele diz ter ficado na Austrália durante 30 anos. Corrado diz ter visto um barco passar por eles e perguntou se era ele.
16 - A belíssima cena de claudia abrindo a janela e vendo o raiar do dia aos 43:16, é a mesma cena vista com tons de azul no Menu do DVD.
17 - Outra belíssima cena um minuto depois com Sandro sentado olhando a paisagem e o som do vento forte ao fundo, logo depois Claudia se aproxima, beleza pura, de encher os olhos e o som do vento é belíssimo.
18 - Claudia mostra ao pai de Anna que chegara À ilha uma bíblia que estava lendo e então ele se pergunta se poderia descartar a hipótese de suicidio por ela crer em Deus
19 - 40 mil pessoas desaparecem na Italia por ano, isto é quase o bastante para encher o estádio de San Siro
20 - Goffredo é o neto da princesa, tem 17 anos, ele é pintor.Há uma cena em que Giulia põe um par de chifres no marido abraçando-se e beijando-se com Goffredo, neste momento Claudia sai da sala a pedido de Giulia.

Ficha Técnica: Direção: Michelangelo Antonioni - Ano: 1960 - País: França, Itália Gênero:Drama, Policial, Romance, Suspense Duração: 145 min. / p&b Título Original: L'Avventura Título em inglês: The Adventure
_____________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário