terça-feira, 29 de julho de 2008

Zona de Risco (Gongdong gyeangbi guyeak JSA(joint Security Area),2000,Coréia do Sul,110 mins)
Minha nota: [9,5] -
Por Wendell Borges - 29/07/2007

Comentário: "Nos meus filmes, concentro-me na dor e no medo - o medo antes de um acto de violência e a dor logo a seguir. Faço isto para perpetradores e vítimas." Nas palavras do próprio diretor do filme, o filósofo e ex-crítico de cinema Park Chan-Wook (Sympathy for Mr. Vengeance,Oldboy e Lady Vingança), este Zona de risco tem como temática principal a dor e o medo antes de um ato de violência e é isto que vemos na tela e a principal reflexão que este grande filme nos traz. A trama retrata os conflitos entre as coréias norte (comunista) e sul (capitalista) através de uma estória de amizade que cruza as fronteiras da irracionalidade humana. Estas ideologias que tanto atormentam o homem e já provocaram inúmeras guerras parecem não ter fim. Qual seria o melhor sistema político e econômico para a raça humana talvez ainda não tenha sido criado ou talvez nunca venha a existir enquanto o problema não for do sistema, mas de algo misterioso que jamais ciência ou religião conseguiu explicar direito, quem somos nós afinal e qual é o nosso verdadeiro objetivo na vida? Acompanhamos aqui o nascimento de uma relação de amizade entre quatro homens, dois comunistas, o sargento Oh Kyeong-pil (Kang-ho Song) e Jeon Woo-Jin (Ha-Kyun Shin) e dois capitalistas, o sargento Lee Soo-hyeok (Byung-hun Lee) e Nam Sung-shik (Tae-woo Kim) e neles vemos a esperança das fronteiras entre as coréias iniciarem uma trégua. Um assassinato ocorre no lado norte da Coréia envolvendo os quatro amigos e é aí que os conflitos da trama tem início. Uma investigadora da CSNN (Comissão Supervisora de Nações Neutras) chamada Sophie E. Jean (Yeong-ae Lee) é convocada para investigar o caso. O mistério do filme só é revelado no final e todas as dúvidas e explicações são esclarecidas ao espectador. Bem filmado, com boa fotografia e um elenco bem dirigido, Zona de Risco é o primeiro filme longa-metragem deste grande cineasta sul-coreano que com certeza ainda trará muitas alegrias aos apreciadores da sétima arte. Vale conferir!!

Confira abaixo um pequeno resumo da carreira de Park Chan-Wook retirada do livro Cinema Now de Andrew Bailey. (Obs: digitei apenas um pequeno trecho, há mais informações na obra citada.)

Park Chan-Wook: O atual rei do cinema extremo estudo filosofia e chegou a trabalhar como crítico de cinema. Após ver e rever A Mulher que viveu Duas Vezes (1958), decidiu embarcar numa carreira de realizador. A sua primeira longa-metragem de sucesso Joint Security Area (2000) teve uma excelente carreira comercial na Coréia do Sul. De seguida, Park Chan-Wook voltou-se para uma trilogia de thrillers sob o tema da vingança, produzidos independentemente uns dos outros, que lhe haviam de granjear reconhecimento internacional como artesão barroco da violência com arte - um hitchcock para os amantes do cinema extremo na Ásia.

Sinopse: Ação e suspense se misturam para contar essa movimentada história que desvenda uma conspiração política entre as duas Coréias e interesses obscuros de governantes corruptos. Após um tiroteio, dois soldados norte-coreanos são mortos. Acredita-se que o responsável pelos tiros tenha sido um oficial do exército da Coréia do Sul. A perícia conclui que onze balas perfuraram os corpos das vítimas, e outras cinco são encontradas nas armas usadas, porém o mistério se impõe depois da descoberta já que apenas 15 balas podem ser carregadas no armamento. Para investigar o caso, uma equipe especial vem da Suíça. Eles acreditam que a 16º bala pode ter saído de uma arma de algum membro de outro partido. Agora eles precisam investigar quem está por trás de tal crime e quais os objetivos dessa pessoa ao tumultuar o equilíbrio político da região.

Ficha Técnica: Gongdong gyeangbi guyeak JSA(joint Security Area,2000,Coréia do Sul, 110 mins. Direção: Park Chan-wook - Roteiro: Seong-san Jeong, Hyeon-seok Kim, Mu-yeong Lee, Park Chan-wook , baseado em romance de Sang-yeon Park.
_____________________________________________________________________

Um comentário:

  1. Filmaço, com toda certeza.
    Nota 10 sem pestanejar!
    Também fiz uma resenha desse filme. Primeira de 2007.
    Tenho ele na coleção, em sua versão especial lançada pela Europa Filmes.
    Sou fã do cinema coreano.

    ResponderExcluir