quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Noites de Cabíria (Notti di Cabiria, Italia,1957,110 mins)
Minha nota: [10,0] -
Por Wendell Borges - 20/08/2008

Comentário:
Giulietta Masina (1921-1994) interpreta com bom humor e carisma a prostituta Maria Ceccarelli, conhecida também como Cabíria. Esta é uma indiscutível obra-prima do cinema dirigida por um dos grandes gênios da sétima arte, o italiano Federico Fellini que infelizmente faleceu aos 73 anos vítima de uma parada cardio-respiratória (1920-1993). Noites de Cabíria levou o Oscar de melhor filme estrangeiro e melhor atriz em Cannes para Giulietta Masina, mulher do diretor e protagonista de "A Estrada da Vida" e "Julieta dos Espíritos" ambos de Fellini.

A prostituta Cabíria é bastante ingênua, acredita no amor perfeito e na sinceridade humana e por isso acaba sofrendo um revés após o outro. Na primeira sequência do filme, ela é atirada em um rio pelo namorado Giorgio (Franco Fabrizi), que sai correndo com a bolsa e o dinheiro dela. Ela é resgata por alguns garotos que estavam no local e quando consegue voltar a si não consegue aceitar a crueldade e a sordidez do ato que acabara de viver, repudiando a ajuda das pessoas que a socorreram.

Após uma briga com uma das prostitutas em um dos pontos de trabalho, briga esta provocada por uma chacota com relação ao acontecido envolvendo Giorgio, Cabíria é levada de carro até um bairro luxuoso. Ela para no local e acompanha a discussão de um homem chamado Alberto Lazzari (Amedeo Nazzari – 1907-1979), um astro de cinema que acaba usando Cabíria para esquecer uma crise conjugal. Momentos depois ela vira objeto de gozação de uma companhia teatral, é chamada para ir atéo palco onde umo "mágico" a hipnotiza e revela seus sonhos e desejos. Quando o show termina, Cabíria conhece Oscar D'Onofrio (François Perier – 1919-2002), um finório que se utiliza dos sonhos revelados pelo hipnotizador para enganá-la. A cena final quando Cabíria pede para que Oscar a mate é cheia de tensão e suspense. Uma obra-prima do cinema que ganhou o oscar de melhor filme estrangeiro em 1958. (curiosamente este foi o segundo prêmio de melhor filme estrangeiro, pois o prêmio antes era apenas honorário e foi Fellini com o filme Na Estrada da Vida o primeiro a receber o oscar desta categoria.)

Há uma passagem do filme que foi vetada pela Igreja envolvendo uma procissão com católicos rogando por milagres. Em algumas passagens Cabíria e sua amiga Wanda (Franca Marzi – 1926-1989) fazem gozações e demonstram bastante ceticismo com relação aos dogmas católicos. Cabíria é a mais escrachada, há uma cena inclusive na qual ela diz que acender velas não serve para nada e provoca algumas pessoas que carregavam cruzes e imagens. Outra cena interessante do filme é o encontro de Cabíria com um homem bondoso que sai pela cidade distribuindo alimentos aos mendigos que moram em grutas.

Anotações para quem já viu o filme (Wendell Borges)

1 - A cena final cheia de tensão quando Oscar leva Cabiria para perto de um lago é simplesmente sublime.

Sinopse: Cabiria é uma prostituta que leva uma vida simples em sua casa de um quarto nos arredores de Roma na era pós-guerra. Um dia, quando ela passeia toda feliz com um namorado, às margens do Tibre, este a ataca e a joga no rio, fugindo em seguida com sua bolsa contendo 40.000 liras.

Ela é salva por alguns garotos locais e, ao recobrar a consciência, corre para sua modesta casa sem querer aceitar a idéia de que seu namorado a tenha realmente roubado.
Ingênua, ela sonha com o amor perfeito e acredita na bondade das pessoas. Embora tenha seu mundo de fantasias, ela se apercebe da necessidade de voltar 'à vida' que a sustenta. Assim, ela volta à Via Veneto, onde os clientes são de uma melhor classe. Lá, ela presencia uma briga entre o ator de cinema italiano, Alberto Lazzari, e sua bela namorada Jessy (Dorian Gray-1936).

Quando esta vai embora, ela é convidada a entrar no carro de Lazzari e, quando se dá conta, verifica que se encontra na mansão do ator. Em sua ingenuidade, ela logo pensa que ele vai passar a cuidar dela. Entretanto, pouco depois, a namorada de Lazzari chega à mansão e ela é obrigada a passar a noite trancada no banheiro, com o cachorro dele, olhando o casal através do buraco da fechadura.

No dia seguinte, ela se junta a um grupo de prostitutas e cafetões, numa romaria aos subúrbios de Roma, onde dizem que o rosto de Nossa Senhora tem aparecido. Depois, perambulando pelas ruas, ela vai ter a um show de variedades. Lá, é hipnotizada por um mágico que a faz acreditar que ela se encontra em companhia de um homem que a ama profundamente e que vai cuidar dela pro resto de sua vida. Entretanto, ao sair do estado de hipnose, é ridicularizada pelos presentes e se sente mais uma vez enganada.

Um dia, Cabíria conhece Oscar, um contador, que lhe declara amor com tanta veemência que ela não pode recusar seus avanços. Ele passa a cortejá-la de tal forma que ela se convence do seu verdadeiro amor. A ingênua Cabíria abre seu coração, contando-lhe todo o seu passado, depois do que ele lhe propõe casamento. Ela, então, vende tudo o que tem, inclusive sua casa, fecha sua conta bancária e pega um ônibus para se encontrar com Oscar. Os dois caminham através de um bosque, onde Oscar se transforma num outro homem, que a enganou apenas com o intuito de roubar tudo o que ela tinha.

Ao sair, sozinha, do bosque, ela caminha por uma estrada, completamente desolada e arruinada. Entretanto, quando um grupo de alegres adolescentes, a caminho de um festival, a encontram, vê-se um sorriso de esperança iluminar seu rosto, pois, acima de tudo, ela é uma eterna otimista.

Ficha Técnica: Notti di Cabiria, Italia,1957,110 mins - Direção: Federico Fellini - Roteiro: Federico Fellini (história e roteiro), Ennio Flaiano (história e roteiro), Tullio Pinelli (história e roteiro), Pier Paolo Pasolini (roteiro), Maria Molinari (romance)
_____________________________________________________________________

5 comentários:

  1. Grande filme, caro Wendell, com uma interpretação fascinante de Giulietta Masina que domina por completo a película.

    É mesmo 10/10.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Do Fellini, infelizmente, só vi 8 1/2.
    Mas pretendo ver outras de suas obras mais badaladas em breve.
    Como essa.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, fiquei muuuuito curioso pra ver ese filme. Como vc conseguiu? Dvd?

    Esse é o ruim dos clássicos. Quase não consigo achá-los!

    ResponderExcluir
  4. sim, eu aluguei numa locadora aqui da cidade especializada em filmes de arte. O dono volta e meia compra alguns clássicos.

    ResponderExcluir
  5. Fellini e sua obra magnífica. Adoro este filme. E não tinha percebido que o Pasolini tinha participado do roteiro do filme, gosto do cinema violento e cruel que ele fez também.

    Abraço!!!

    ResponderExcluir