terça-feira, 19 de agosto de 2008

Terra em Transe (Brasil,1967, 106 mins)
Minha nota: [10,0] -
Por Wendell Borges - 18/08/2008

Comentário: O Brasil antes do golpe militar, que derrubou o governo de João Goulart em 31 de março de 1964, estava partindo para uma real mobilização populacional em favor das reformas de base?

Todo este jogo político e poético de Terra em Transe foi inspirado nos dizeres do poeta Mauro Faustino, no próprio Goulart, Paulo Francis e Janio de Freitas como diz o próprio Glauber nos Extras do DVD.

Política, cinema e poesia de imagens transportadas para o universo mítico e fictício da cidade de Eldorado, é nela que o diretor e roteirista baiano Glauber Rocha (1939-1981) coloca toda a sua vertente poética e política das imagens para criticar os movimentos ideológicos que ditam as regras para a massa e fazer uma denúncia sobre o transe político pelo qual passava a América Latina, portanto não se trata de um filme político, mas de um filme sobre política.

Glauber não defende aqui partido A ou B, nem ideologias de esquerda ou direita. Em Deus e o diabo na terra do sol Glauber fazia alusões aos movimentos messiânicos, neste Terra em Transe é a vez do populismo e do extremismo ganharem terreno e o cinema como arma reflexiva para desestruturar a falta de liberdade que a alienação das massas pode causar.

O filme não tem uma linha narrativa única, mas alguns personagens simbólicos que representam classes de interesses e que jogam ao espectador reflexões e tomadas de posicionamento políticas. O senador Porfírio Diaz interpretado por Paulo Autran detesta seu povo e pretende tornar-se imperador de Eldorado, este país fictício localizado na América do Sul.

Outros políticos também tem interesse em chegar ao poder e fazer uma revolução popular, há o reacionário, espécie de anarquista e poeta na figura de Paulo Martins interpretado por Jardel Filho e um outro personagem que simboliza o políticio popular chamado Felipe Vieira interpretado por José Lewgoy.

Durante o filme há várias imagens do povo dançando ao redor de personagens que discutem política, num claro simbolismo da alienação do povo com relação aos sistemas de relações de poder.

O próprio Glauber alega que Terra em Transe não tem ambiguidades, que os posicionamentos políticos estão claros, só não vê quem não quer. É um clássico do cinema moderno brasileiro que tentou através do movimento "Cinema Novo" uma nova forma de realizar cinema no Brasil.

O filme foi agraciado com o prêmio FRIPESCI no festival de Cannes em 1968, o Grand Prix no Festival de Locarno e Melhor Filme e Prêmio da Crítica no Festival de Havana. O filme ainda teve outras premiações as quais listo abaixo:

- Ganhou os prêmios de Melhor Filme, Melhor Ator (José Lewgoy), Melhor Atriz (Glauce Rocha) e uma Menção Honrosa (Luiz Carlos Barreto), no Festival de Juiz de Fora.
- Ganhou os prêmios de Melhor Atriz (Glauce Rocha), Melhor Roteiro, Melhor Fotografia e Melhor Edição, no Prêmio Governo do Estado de São Paulo.


Obs: Atores protagonistas de Terra em Transe que já faleceram.
Paulo Autran (1922-2007)
José Lewgoy (1920-2003)
Paulo Gracindo (1911-1995)
Jardel Filho (1928-1983)
Glauce Rocha (1930-1971)

Obs2: Se você curte o cinema deste grande ícone do cinema brasileiro não deixe de visitar o site Tempo Glauber

Nas palavras do próprio Glauber Rocha: "Convulsão, choque de partidos, de tendências políticas, de interesses econômicos, violentas disputas pelo poder é o que ocorre em Eldorado, país ou ilha tropical. Situei o filme aí porque me interessava o problema geral do transe latino-americano e não somente do brasileiro. Queria abrir o tema "transe", ou seja a instabilidade das consciências. É um momento de crise, é a consciência do barravento."

Sinopse: O senador Porfírio Diaz (Paulo Autran) detesta seu povo e pretende tornar-se imperador de Eldorado, um país localizado na América do Sul. Porém existem diversos homens que querem este poder, que resolvem enfrentá-lo.

Ficha Técnica: Título em outros países: Anguished Land - Earth Entranced - Land Entranced - Land in Anguish - País: Brasil - Ano: 1967 - Idioma: português - Direção: Glauber Rocha
Roteiro: Glauber Rocha - Gênero: Drama - Elenco: Jardel Filho, Paulo Autran, José Lewgoy, Glauce Rocha, Paulo Gracindo, Hugo Carvana, Danuza Leão, Jofre Soares, Modesto De Souza, Mário Lago, Flávio Migliaccio, Telma Reston, José Marinho, Francisco Milani, Paulo César Peréio, entre outros.
_____________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário