quarta-feira, 11 de janeiro de 2012




Má Educação
de Pedro Almodóvar, La Mala Educación,Espanha,2004, 106 mins

Minha cotação:


Por Wendell Borges - 01/09/2008

"Enrique Goded continua fazendo cinema com a mesma paixão"
ou
Pedro Almodóvar continua fazendo cinema com a mesma paixão.

Filme Revisto na Mostra21 dia 11/01/2012 - SESC Juazeiro do Norte

Comentário (não leia se não tiver visto o filme ainda): "Enrique Goded continua fazendo cinema com a mesma paixão". Esta frase que encerra este excelente filme de Pedro Almodóvar me fez pensar na imensa paixão deste diretor pelo cinema. Desde Luis Buñuel e Carlos Saura que o cinema espanhol não produzia um diretor tão talentoso e que ganhou tanto espaço na mídia mundial.

Seu talento para compor personagens e tramas um tanto bizarras vêm de sua experiência de vida, Almodóaver é um homossexual assumido e cantava travestido numa banda de Rock.

A paixão de Almodovar pelo cinema vem desde sua juventude, com apenas 16 anos mudou-se sozinho para Madri, sem dinheiro, com o objetivo de estudar e fazer filmes. Não conseguiu entrar na escola oficial de cinema devido à ditadura do general Francisco Franco que havia fechado a escola. Impedido de estudar a teoria do cinema decidiu aprender na prática. Mesmo com a ditadura, Madrid era a capital da liberdade e da cultura e após vários empregos, Almodovar começa então seus primeiros filmes em super-8, câmera esta comprada quando conseguiu entrar para a Companhia Telefônica Nacional, local em que trabalhou durante 12 anos como assistente administrativo.

Com o dinheiro ganho pode então dar início à paixão da adolescência, fazer filmes. Eis o começo do hoje consagrado diretor que por amor à sua paixão ganhou o merecido estrelato mundial. Este filme Má Educação narra um pouco sua vivência em colégios católicos, estudou com os Salesianos e os Franciscanos, e como diz o próprio Almodovar sua má educação religiosa o ensinou a perder a fé em Deus. Porém, o filme não é autobiográfico e nem uma vingança contra a igreja, os padres ou qualquer coisa deste tipo, veja abaixo o depoimento do diretor sobre Má Educação:

" É um filme muito íntimo, mas não é autobiográfico. Não falo de minha vida no colégio (...). Obviamente minhas memórias foram importantes na hora de escrever o roteiro, já que vivi nos locais e momentos onde a história se passa. ‘Má Educação’ não é um ajuste de contas com os padres que me educaram mal, nem com a Igreja em geral. Caso tivesse necessidade de me vingar, não teria esperado quarenta anos para fazê-lo. A Igreja não me interessa, nem como adversária. O filme não é uma comédia, ainda que haja humor nem um musical infantil, ainda que crianças cantem. É um film noir, ou, pelo menos, gostaria de considerá-lo assim. O gênero noir admite bem a mistura com outros gêneros, sempre que a narração respire esse ar fatal, sem o qual o negro seria cinza. No noir pode não haver polícia nem armas, nem sequer violência física, mas tem de haver mentiras e fatalidade, qualidades que normalmente uma mulher encarna: a femme fatale. Ela é consciente de seu poder de sedução e é fria, razão pela qual não se altera facilmente. É alguém que perdeu os escrúpulos e não se interessa em recuperá-los. Para ela, o sexo não é fonte de prazer e sim de dor para os demais. Em A Má Educação, a femme fatale é um enfant terrible, o personagem interpretado por Gael Garcia Bernal.

Na trama do filme, Enrique Goded (Fele Martinez) é um cineasta que está passando por um bloqueio criativo e está buscando inspiração para um novo filme, ele conversava com seu produtor Martin (Juan Fernandez) quando bate em sua porta uma antiga paixão adolescente, o ator Angel (Gael Garcia Bernal), nome artístico de Ignacio que lhe pede para ler um roteiro intitulado "A Visita", que foi elaborado com lembranças da relação entre ele e Goded quando estudavam em um colégio católico cujo diretor, o padre homossexual Manolo (Daniel Gimenez Cacho) apaixonou-se por Ignacio.

No decorrer da trama descobrimos que Angel não era quem dizia ser. Ele era na verdade o irmão de Ignacio chamado Juan, um ator sem escrúpulos capaz de tudo para subir na vida. O verdadeiro Ignacio (adulto), interpretado no filme pelo ator Francisco Boira havia morrido de overdose provocado por uma alta dose de heroína. (O ator que interpreta Ignacio na adolescência é Nacho Pérez.)

A droga havia sido oferecida por Manuel Berenguer (o padre Manolo agora afastado da Igreja) que havia se apaixonado por Juan. Enfim, a trama do filme é daquelas rocambolescas, narrada com a maestria habitual de Almodovar, que consegue criar aquele clima ao mesmo tempo cômico e dramático com seus personagens escandalosos.

Os filmes de Almodóvar que já assisti em ordem de preferência:

Obs: Não estou contando com Carne Trêmula e A Flor do meu segredo que vi há vários anos atrás num daqueles dias em que não estava concentrado na trama dos filmes e não estou contando até poder revê-los com mais atenção. Também não vi ainda (até a data de hoje 01/09/2001): "Volver", "Fale com ela", "A Lei do desejo", "Matador" e "Pepi, Luci, Bom y otras chicas del montón". Todos estão é claro na minha imensa lista de filmes para ver antes de morrer. Se Deus permitir ainda vou assistir uns 20.000 filmes até partir para outra dimensão. :)

Tudo sobre minha mãe (1999) - * * * * *
Mulheres à beira de um ataque de Nervos (1988) - * * * * *
Ata-me (1990) - * * * *
Kika - * * *

Anotações para quem já viu o filme (Wendell Borges)

1 - Logo no início do filme Enrique Goded (Fele Martínez) conta a história que estava lendo no jornal sobre um motoqueiro que morreu de frio na Rodovia 4 e continuou pilotando a moto por cerca de 90 km. Dois patrulheiros o perseguiram até perceberem que ele estava morto. Neste momento Ignacio Rodrigues (Gael Garcia Bernal) bate na porta e se apresenta ao homem que conversava com Goded. Ignacio conta que fora amigo de escola de Goded.

2 - Goded apresenta o seu diretor de produção chamado Martin a Ignacio. O homem que conversava com Goded no começo do filme quando ele leu a notícia do motociclista morto.

3 - Ei! eu to chupando seu pau. Ele desmaiou. (Nesta cena de sexo oral Angel estava fazendo sexo oral em - um joven que ele conhecera durante seu show no teatro. Ao pegar a carteira dele Angel descobre que o nome do jovem era Enrique Serrano Garcia. Casado e com um filho).

4 - Paquito pede para fazer sexo oral também, mas Angel não permite.


Sinopse: Madri, 1980. Enrique Goded (Fele Martínez) é um cineasta que passa por um bloqueio criativo e está tendo problemas em elaborar um novo projeto. É quando se aproxima dele um ator que procura trabalho, se identificando como Ignacio Rodriguez (Gael García Bernal), que foi o amigo mais íntimo de Enrique e também o primeiro amor da sua vida, quando ainda eram garotos e estudavam no mesmo colégio. Goded recebe do antigo amigo um roteiro entitulado "A Visita", que parcialmente foi elaborado com experiências de vida que ambos tiveram. Goded lê o roteiro com profundo interesse. Este relata as fortes tendências de pedofilia que tinha um professor de literatura deles, o padre Manolo (Daniel Giménez Cacho), que vendo Ignacio e Enrique em atitude suspeita diz que vai expulsar Enrique. Ignacio, sabendo que Manolo era apaixonado por ele, diz que fará qualquer coisa se ele não expulsar Enrique. Então Manolo promete e molesta Ignacio, mas não cumpre a promessa e expulsa Enrique. Goded decide usar a história como base do seu próximo filme e, por causa de um isqueiro, vai até a casa de Ignacio e constata uma verdade surpreendente.

Ficha Técnica: La Mala Educación,Espanha,2004, 106 mins - Direção e roteiro: Pedro Almodóvar.


_______________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário