domingo, 7 de setembro de 2008

Parente... É Serpente (Parenti Serpenti, Itália,1992, 105 mins
Minha nota: [8,0] -
Por Wendell Borges - 07/09/2008

Comentário: O diretor Mario Monicelli (1915) com bastante acidez corrói o sistema familiar aqui representado por uma família que não é muito diferente de muitas famílias brasileiras ou de muitas das nações ocidentais. A trama é narrada pelo jovem neto da Matriarca Trieste que vai apresentando ao espectador um por um dos membros da família Colapietro. Tudo ia bem até que a vovó Trieste resolve anunciar que irá se mudar juntamente com Saverio, seu esposo, para casa de um dos filhos. Começa então um jogo ferino entre os irmãos para ver quem vai cuidar dos velhinhos. Várias revelações são feitas até a inusitada e chocante decisão.

Sinopse: Durante a tradicionalíssima festa de Natal da família Colapietro, a alegria é interrompida quando a matriarca declara que ela e seu marido estão muito velhos para ficarem sozinhos naquela enorme casa. Comunica, então, uma decisão irrevogável: vai pôr a casa à venda e morar com um dos filhos. Mas, é claro, nenhum deles quer dar abrigo aos pais, e o que era para ser apenas mais uma ceia de Natal acaba se tornando uma grande confusão, de conseqüências tragicômicas.


Obs:
Mario Monicelli está com 93 anos e continua dirigindo filmes. Seu último longa-metragem foi em 2006, mas o diretor já realizou um curta-metragem este ano. É um dos últimos mestres da comédia italiana ainda vivos. Alguns de seus filmes mais famosos são: As duas vidas de Mattia Pascal, Meus Caros Amigos e o Incrível Exército de Brancaleone.

Anotações para quem já viu o filme (Wendell - notes)

Apresentação da Família

1 - Este é meu pai. É agrimensor da prefeitura em Teramo.
2 - Depois de nós sempre chegava o Tio Alessandro (Eugenio Masciari) irmão de Mamãe, com Tia Gina (Cinzia Leone) e minha prima Mônica (Eleonora Alberti). Tio Alessandro ama a natureza e é do grupo "Amigos da Terra"
3 - De Roma vinham tio Filippo e tia Milena, a que não podia ter filhos (Monica Scattini), irmã de mamãe.
4 - Tio Alfredo (Alessandro Haber), solteiro e dá aula de italianos numa escola para moças.
5 - O final com a casa explodindo enquanto os filhos se divertem na festa de ano novo é puro humor negro.

Festivais e Prêmios: Prêmio dos Jornalistas Italianos (Silver Ribbon) - Melhor Figurino

Ficha Técnica: Diretor: Mario Monicelli - Roteiro: Carmine Amoroso.
Elenco: Tommaso Bianco, Renato Cecchetto, Marina Confalone, Alessandro Haber, Cinzia Leone, Eugenio Masciari, Paolo Panelli, Monica Scattini, Pia Velsi, Riccardo.
________________________________________________________________________

Um comentário:

  1. Liga dos Blogues10:07 PM

    Parabéns! Este blogue acaba de ser eleito como um dos novos integrantes da Liga dos Blogues Cinematográficos.

    Siga as instruções em:
    www.ligadosblogues.wordpress.com

    ResponderExcluir