segunda-feira, 8 de setembro de 2008

A Vida Secreta das Palavras (The Secret Life of Words,2005,115 mins)
Minha nota: [9,0] -
Por Wendell Borges - 08/09/2008

“A violência é o último refúgio da ausência de inteligência”
Isaac Asimov

Comentário (Leia apenas se já tiver visto o filme): (Divagações iniciais) Uma reflexão sobre a dor, nos arranca de uma refinaria de petróleo e nos leva até Copenhague. A guerra dos Balcãs. Vemos um corpo cortado. A recuperação de um corpo queimado pela vergonha? Trair um amigo fazendo sua companheira apaixonar-se por você. Então uma nova paixão surge. Um livro é devolvido. Uma esperança, houve uma conexão e então temos um beijo de amor. Esperança diante da dor.

Este filme da diretora e roteirista catalã Isabel Coixet (1960) investe toda a sua carga emocional na relação construída entre a enfermeira Hanna (Sarah Polley) e seu paciente Josef (Tim Robbins). É com este jogo sedutor como pano de fundo que Coixet vai aos poucos revelando aos olhos atentos do espectador os mistérios da trama.

Há alguns elementos de certa forma dispensáveis, como a voz narradora em off que aparece no início e em alguns momentos da trama e o tom quase melodramático que algumas cenas podem soar. Nada porém que estrague o espetáculo dramático das personagens.

Há ainda a participação especial de Julie Christie (atriz mundialmente conhecida pela personagem Lara do filme de David Lean Dr. Jivago) no papel de Inge Genefke, fundadora do IRCT, entidade sediada em Copenhague, na Dinamarca, que sustenta e promove a reabilitação de vítimas de tortura do mundo inteiro.

Enfim, abaixo faço algumas anotações esparsas sobre alguns momentos da trama e desde já indico o filme pela belíssima forma como é construída a relação entre Hanna e Josef. Relação esta que merece ser vista. Além disso, o filme desperta interesse em quem o assistir e pode ser usado de forma didática pelos professores de História para despertar nos alunos sensibilidade com relação às guerras, aqui no caso, a Guerra dos Balcãs.

Obs: O livro que aparece na trama intitulado Cartas Portuguesas foi escrito por Sóror Mariana Alcoforado (1640-1723). (o termo Sóror é um tratamento dado às freiras) Mariana mesmo sem ter tido inclinação mística já foi desde cedo nomeada monja do Convento da Conceição, como consta em seu Testamento Materno.

Obs 2 : A personagem Cora, citada por Josef em um certo momento da trama parece ter sido retirada do conto "Senhorita Cora" publicado no livro Todos os Fogos o Fogo do escritor argentino Julio Cortazar (1914-1984)

Obs 3: Saiba mais sobre a Guerra dos Balcãs - (Fonte Wikipedia)


Anotações para quem já viu o filme: (Wendell - Notes)

1 - Lá no fundo, há tão pouco. Milhões e milhões de toneladas de água, pedras e gás. Afeição. Sangue. Cem minutos. Mil anos. Cinzas. Luz. Agora. Este agora. Há algum tempo... "Fogo!" " Não!" "Eu já lhe disse, não é?"
Há muito pouco: Silêncio e palavras. (A apresentação inicial com uma voz em off enquanto vejos imagens do ator Tim Robbins e uma refinaria de petróleo é bastante tensa, prenúncio de uma tragédia?)

2 - 5 passos para a saúde - Beba água com regularidade, no mínimo 8 copos por dia. 2 copos de leite por dia. (No quadro que aparece acima da personagem Hanna Amiran (Sarah Polley) logo no início do filme mostra o numeral 6 onde deveria ser um cinco no 5º passo. Terá sido um erro ou foi proposital? o curioso é que parece ter um símbolo de um smiley no local onde ficam as gorduras e os açucares.)

3 - A discussão das duas velhinhas sobre Vin Diesel e Jean Claude Van-Damme é engraçada. Uma delas defende que Vin Diesel é melhor ator.

4 - Esta é Hanna. A Enfermeira que vai cuidar da vítima.

5 - Sulitzer diz que a esposa dele é colombiana. Nesta cena há um certo atrito entre ele e Hanna envolvendo preconceito com relação a estrangeiros.

6 - pode me chamar de Cora. E eu sou ruiva. (Hanna mente para seu paciente Josef)

7 - O cozinheiro Simon se apresenta a Hanna, mas não consegue arrancar dela muita coisa. Ela continua sisuda. Ele parece ser da Venezuela, estava usando uma camisa com o nome estampado.

8 - Frango, arroz branco e maçãs. São as comidas que Hanna diz gostar. A primeira informação que ela dá numa conversa com Josef.

9 - A Gansa se chama Lisa. O homem que morreu no incêndio a trouxe. Simon, Abdul que cuida da limpeza, Scott e Liam na sala de Máquinas. Josef, você e eu.

10- Martin (Daniel Mays) é o oceanógrafo ( o cara que joga basquete)

11- A HISTÓRIA DE CORA OU POR QUE JOSEF CHAMOU HANNA DE CORA?: Uma história que eu li há algum tempo. Havia uma enfermeira muito jovem e muito bonita chamada Cora e havia um menino de quinze anos que teve o apêndice retirado. Ele tinha vergonha de que ela desse banho nele,o barbeasse e o visse usar a comadre (tipo de urinol - bedpen em inglês). Sempre que ela entrava no quarto, ele não conseguia falar. Ela não o levava a sério. Achava que ele era uma criança, e o tratava como um bebê. Um dia houve complicações, uma infecção, febre... e o menino ficou muito fraco e estava morrendo. Então cora sentou perto da cama dele, falou com ele,cantou para ele, e não adiantou. Ele estava morrendo. Ela chegou bem perto dele e ele disse: " Não me deixe, não me deixe, não me deixe." E o menino morreu com o nome dela, Cora, nos lábios. E ela percebeu que o amava.

12 - Deff Lepard, a banda citada por Martin no almoço.

13 - Tenho exatamente 3 x 15 - A idade do personagem de Josef - 45 anos.

14 Em outro momento vemos Simon vestindo uma camisa escrita Cabo Verde. Afinal de onde ele é mesmo?


15 - E escolhi voce para ser a unica e agora estamos nos divertindo para valer você me tratou com tanta doçura estou quase perdendo a cabeça.

16 - Qual era o nome dela? da sua amiga? Hanna. (A cena em que a personagem de Sarah Polley tira a blusa e mostra as marcas que sofrera quando foi abusada por soldados na guerra.)

17 - The letters of a portuguese nun - A esposa do amigo de Josef (Leonor Watling) entrega a Josef os livros no banco da praça.

18 - o resto da sua vida com a refugiada de uma guerra que todos esqueceram? Com uma mulher que você nunca viu? - Josef vai até copenhague procurar Hanna e conversa com a professora dela.

19 - Talvez eu nunca mais volte. Após o beijo final, a contemplação de uma atmosfera feliz. Todo o amargor de Hanna renova-se cheio de esperança ao ver os filhos chegando.

Premiações
- Recebeu uma indicação ao European Film Awards, na categoria de Melhor Atriz (Sarah Polley).
- Ganhou 4 prêmios no Goya, nas categorias de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Roteiro Originale Melhor Direção de Produção. Foi ainda indicado na categoria de Melhor Ator Coadjuvante (Javier Cámara).

Curiosidades
- Este é o 2º filme em que a diretora Isabel Coixet e a atriz Sarah Polley trabalham juntas. O anterior foi Minha Vida Sem Mim (2003).
- As filmagens ocorreram entre 8 de novembro e 22 de dezembro de 2004.
- Exibido na mostra Panorama do Cinema Mundial, no Festival do Rio 2006.
- O orçamento de A Vida Secreta das Palavras foi de US$ 5 milhões.

Elenco: Sarah Polley (Hanna) - Tim Robbins (Josef) - Javier Cámara (Simon) - Eddie Marsan (Victor) - Steven Mackintosh (Dr. Sullitzer) - Julie Christie (Inge) - Danny Cunningham (Scott)
Dean Lennox Kelly (Liam) - Daniel Mays (Martin) - Sverre Anker Ousdal (Dimitri).

Ficha Técnica: Título Original: La Vida Secreta de las Palabras - Gênero: Drama - Tempo de Duração: 115 minutos - Ano de Lançamento (Espanha): 2005 - Site Oficial: www.lavidasecretadelaspalabras.com - Estúdio: El Deseo S.A. / Hotshot Films - Distribuição: Europa Filmes - Direção: Isabel Coixet - Roteiro: Isabel Coixet - Produção: Esther García - Fotografia: Jean-Claude Larrieu - Desenho de Produção: Pierre-François Limbosch - Direção de Arte: Nigel Pollock - Figurino: Tatiana Hernández - Edição: Irene Blecua - Efeitos Especiais: El Ranchito.
_______________________________________________________________________

Um comentário:

  1. Estou com esse filme aqui em casa para assistir. Coixet é ótima e os atores, idem. Não vejo a hora de conferir.

    Ciao!

    ResponderExcluir