quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Carne para Frankenstein (Flesh for Frankenstein,Itália,França,EUA,1973,95 mins)
Minha nota: [9,0] -
Por Wendell Borges - 09/10/2008

Comentário: Produzido por um dos principais divulgadores da Pop art, Andy Warhol (1928-1987), este delicioso filme de Horror dirigido por Paul Morissey (1938) e Antonio Margheriti (1930-2002), consegue criar um bom clima de tensão mostrando a frieza e crueldade de um Barão obcecado em criar uma nova raça de seres híbridos que serão a salvação para a mistura racial da humanidade.

A trilha sonora assinada por Carlo Gizzi é estupenda e causa um interessante efeito estético com a plasticidade das imagens sanguinolentas contrastando com o vermelho vivo do sangue e a crueza das cenas, destaque para a música "The Baron's Lab/From The Tank" e o trecho de Tanhauser de Richard Wagner (1823-1883). É a velha história do Barão Frankenstein que está em busca dos segredos da imortalidade, ele reúne vários pedaços de orgãos e corpos humanos para criar o homem e a mulher perfeitas e gerar com o cruzamento uma raça de seres perfeitos. O ator Udo Kier (1944) com seu rosto impassivo, ele não esboça nem um leve sorriso sequer durante toda a trama e com seus olhos vibrantes e esbugalhados consegue passar um misto de tensão e humor no exagero com que é composta sua personagem.

A atriz Monique Van Vooren, que faz a mulher do Barão, uma ninfomaníaca que está sempre atrás de um novo parceiro para suas taras sexuais também está bem na personagem. Há ainda os dois atores que interpretam Nicholas (Joe Dalessandro- 1948) e Sacha (o pastor) que vira o monstro Frankenstein. O ajudante do Barão, Otto (Arno Juerging), e a atriz Dalila Di Lazzaro que interpreta a fêma Frankenstein.

O filme cria uma atmosfera tensa e ao mesmo tempo cômica, devido ao exagero e a crueza com que as cenas de carnificina são mostradas. Há também nudez feminina e muito sangue jorrando na tela. O roteiro escrito por Paul Morissey teve a colaboração de Tonino Guerra e Pat Hackett, inspirados na obra de Mary Shelley.

O ator Joe Dalessandro era uma das estrelas produzidas por Andy Warhol, Dalessandro tornou-se um símbolo sexual após sua atuação nos filmes Flesh (1968), Trash (1970) e Heat (1972), todos dirigidos por Paul Morissey com produção de Andy Warhol.

Obs: O filme foi exibido em Spacevision 3-D em algumas salas de cinema nos Estados Unidos.



Obs 2: A trilha sonora completa do filme - Track listing


1. Main Title Theme
2. The Baron's Lab/From The Tank
3. To Be A Monk/Picnic
4. At The Bordello
5. The Perfect Nasum/Off With His Head!
6. The Creation
Overture From Tannhauser : R.Wagner (arr: C.Gizzi)
7. The Seduction
8. SEPARATE!!!/Female Zombie
9. Catherine And The Manservant
10. Dinner With The Baron
11. Pit Stop!
12. Otto Stalks Nana
13. Kiss Him! Kiss Him!
14. Attempted Escape
15. The Baron's Death
16. End Title Credits


Anotações para quem já viu o filme (Wendell - Notes)

1 - Um menino e uma menina brincam com um bisturi no começo do filme. O garoto corta a boneca e depois decepa-lhe a cabeça usando uma guilhotina. A cena é cortada e já vemos os jovens que aparecem na cen anterior andando em uma charrete com uma mulher na floresta.

2 - A sérvia é descendente direta da gloriosa Grécia antiga.

3 - O Barão e seu ajudante Otto vão até o prostíbulo e vêem duas mulheres nuas saindo de lá. Aparece um rapaz na porta, o pastor viado que quer ser monge. O Barão pensa que o pastor é um homem viril e combina com Otto de o sequestrarem quando este sair do prostíbulo, porém, o sujeito realmente viril era o amigo do pastor que estava transando com as duas prostitutas que saíram correndo após surgir uma lagartixa na cama.

4 - Aqui está Otto, a cabeça com o "nasum" perfeito para o meu Zumbi masculino. (O barão decepa a cabeça do pastor com uma tesoura, cena gore com a cabeça sendo decepada e jorrando bastante sangue)

5 - A expressão "juventude servil" terá significado.

6 - O Barão pede ajuda ao filho Erik para descobrir quem invadiu o laboratório, mas o Barão não desconfia que o pastor, cuja cabeça ele arrancou para colocar no corpo de seu adão frankenstein, não gostava de mulheres.

7 - Otto, a fêmea-frankenstein, Katherine e o Barão estão todos mortos. Após matar Katherine e o Barão, o Adão-Frankenstein se mata arrancando as próprias tripas.

8- No final sobrevivem Monika e Erik, que são os filhos do Barão, e o personagem de Joe Dallessandro,Nicholas, o empregado e amante da baronesa.


Ficha Técnica: Flesh for Frankenstein,Itália,França,EUA, 1973 - Direção: Paul Moressey e Antonio Margueriti - Roteiro: Paul Morissey, Tonino Guerra e Pat Hackett inspirados nos personagens criados pela escritora Mary Shelley (1797-1851).
_____________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário