segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Ônibus 174 (Brasil,2002,133 mins)
Minha nota: [10,0] -
Por Wendell Borges - 06/10/2008

"não é cinema não, é a realidade"

Comentário: Há várias perguntas que ficam no ar após o final deste documentário monumental realizado em 2002 por José Padilha (Tropa de Elite) e Felipe Lacerda. Quem evitou que Sandro fosse assassinado nos momentos em que fica óbvio que a polícia poderia ter atirado? Por que esperaram aquele momento ali para atacar e o que será que passou na cabeça daquele policial que atacou Sandro justamente naquele momento? O policial atirou no rosto da refém? Que opções de vida Sandro tinha para não tornar-se um marginal?

Condenar alguém é fácil, o difícil é conviver com a dor e a culpa, tanto dos familiares da vítima, assassinada com 4 tiros, quanto da dor da mãe adotiva de Sandro que tinha esperanças que seu destino fosse diferente.

Ônibus 174 é aquele tipo de documentário que quando sobem os letreiros você fica parado, estasiado, com olhar perdido e perguntado-se: Isso realmente aconteceu? Há solução para o crime? Há solução para a maldade humana? Até quando a corrupção irá comprometer o trabalho social que poderia tirar milhares de crianças da marginalidade? Enfim, é um documentário feito para nos fazer refletir sobre o nosso descaso diante das pessoas que recebem a alcunha de "invisíveis". Eles são invisíveis sociais, mas bastante visível é o descaso que recebem da ganância e da corrupção de nós humanos. Humanos?

Sinopse: Uma investigação cuidadosa, baseada em imagens de arquivo, entrevistas e documentos oficiais, sobre o seqüestro de um ônibus em plena zona sul do Rio de Janeiro. O incidente, que aconteceu em 12 de junho de 2000, foi filmado e transmitido ao vivo por quatro horas, paralisando o país. No filme a história do seqüestro é contada paralelamente à história de vida do seqüestrador chamado Sandro do Nascimento. Intercalando imagens da ocorrência policial feitas pela televisão. É revelado como um típico menino de rua carioca transforma-se em bandido e as duas narrativas dialogam, formando um discurso que transcende a ambas e mostrando ao espectador porque o Brasil é um país é tão violento.

Anotações para quem já viu o documentário (Wendell - Notes)

Momentos inciais: A câmera começa avançando pelo mar e sobrevoa as colinas da floresta da Tijuca devastadas pelo povo favelado, visualizamos as mansões com suas piscinas, até chegar no itinerário do ônibus.


1 - Em 12 de Julho de 200 a polícia do Rio cercou um homem que tentava assaltar um ônibus. Ele fez 11 reféns e o BOPE foi chamado. O incidente ficou conhecido como o caso do ônibus 174.

2 - Segundo o relatório oficial, Geísa levou quatro tiros: um no rosto, disparado pelo policial e três nas costas disparados por sandro. Os policiais que levaram Sandro para o camburão foram acusados de homicídio e absolvidos por júri popular. Eles continuam na ativa na polícia do Rio.

Premiações
- Recebeu 4 indicações ao Grande Prêmio Cinema Brasil, nas seguintes categorias: Melhor Documentário, Melhor Roteiro Original, Melhor Montagem e Melhor Som.
- Ganhou o prêmio de Melhor Filme - Documentário, no Festival do Rio BR 2002.
- Ganhou o Prêmio Adoro Cinema 2002 de Melhor Documentário.

Curiosidades
- É o primeiro filme dirigido por José Padilha.

Ficha Técnica: Título Original: Ônibus 174 - Gênero: Documentário - Tempo de Duração: 133 minutos - Ano de Lançamento (Brasil): 2002 - Distribuição: Riofilme - Direção: José Padilha - Produção: José Padilha e Marcos Prado - Fotografia: César Moraes e Marcelo Guru - Edição: Felipe Lacerda.
__________________________________________________________________________

3 comentários:

  1. Passou recentemente na televisão portuguesa. É complicado criticar a acção policial. Acredito que tenham tentado tudo pela via diplomática para resolver a bem a situação. É claro que quando Sandro sai do autocarro tudo muda e era preciso actuar. Infelizmente custou a vida de uma jovem e isso é que é mesmo o pior de tudo. Uma tragédia. Tenha tido ou não condições de vida, Sandro é o responsável máximo de tudo o que aconteceu.

    Há uma imagem de extrema violência que chega cá do que se passa no Brasil. Tudo o que há aí de bom, a pouco e pouco é ofuscado por esse facto. E vai ser imensamente difícil reverter essa situação. Certamente que o Brasil perde muito na parte do turismo.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Um grande documentário do autor de Tropa de Elite. O pior de tudo é que nós somos meros espectadores passivos a tudo isso.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. jaqueline2:37 PM

    Um ótimo documentário sobre a realidade.

    " à polícia cabe o trabalho sujo que a sociedade não quer ver, mas que em algum lugar obscuro dos seus pensamentos deseja que se realize..."

    essa frase do documentario já diz tudo.

    ResponderExcluir