sábado, 4 de outubro de 2008

Sombras de Goya ( Goya's Ghosts, EUA,2006, 113 mins)
Minha nota: [6,9] -
Por Wendell Borges - 04/10/2008

Comentário (não leia caso não tenha vistoo filme ainda): O diretor de Amadeus e Um Estranho no ninho, Milos Forman, não consegue conduzir o filme com a mesma maestria destes dois trabalhos citados. Mesmo com a bela fotografia, a boa atuação de Bardem e algumas boas sequências dramáticas, o filme derrapa na sua metade final e algumas cenas soam quase ridículas. A atuação de Natalie Portman é prejudicada pelo roteiro ruim, os cacoetes dela (a boca torta), o andar vacilante, após sair da prisão, com aparência de zumbi quase me fez rir, um efeito justamente ao contrário do que acredito eu, o diretor e a própria atriz quiseram imprimir à cena. Até mesmo a inconstante falta de coerência com relação ao estado mental dela ao sair da prisão não teve por parte de Forman e do roteirista uma atenção maior. O próprio Forman juntamente com Jean-Claude Carrière (antigo colaborador de Luis Bunuel) assinam o roteiro.

A trama que começa em Madri no ano de 1792, narra a trajetória do Frei Lorenzo (Javier Bardem), um caçador de Hereges na espanha do final do século XVIII. Uma jovem chamada Ines (Natalie Portman) é falsamente acusada de Heresia e intimada ao julgamento pela Santa Inquisição. Ela é torturada e confessa estar praticando atos judaicos, apesar de ter confessado apenas para que parassem de torturá-la.

O pai da jovem, Tomás Bilbatúa (José Luiz Gomes) pede ao pintor Francisco Goya (Stellan Skarsgard), pintor oficial da corte espanhola que peça ao Frei Lorenzo que intervenha em favor de sua filha. Quando Lorenzo vai jantar na casa de Tomás, temos acredito eu, a melhor cena do filme, quando Tomás pede a Lorenzo que este assine um documento se dizendo filho de um Chimpanzé com orangotango, somente para provar que sob tortura qualquer um é capaz de confessar qualquer absurdo. Infelizmente após esta sequência de acontecimentos, quando vemos o letreiro "15 anos depois", a invasão do exército de napoleão e a ridícula saída de Ines do seu calvário, o filme descanba e não consegue mais retomar a força inicial.

Há ainda alguns bons momentos, como a sequência de imagens das pinturas de Goya retratando seu pensamento com relação às tropas francesas, mas o filme só cai em ritmo e a presença de Goya, como uma espécie de coadjuvante de luxo fica a ver navios, comprovado pelo final onde vemos Ines agarrando a mão de Lorenzo que jazia morto arrastado pelo homem que guiava a carroça, sendo seguida por Goya que gritava seu nome.

Não vou entrar em mais detalhes com relação à trama, deixo isto para as anotações que faço abaixo e para a sinopse. Para finalizar, o filme não é ruim, está longe disso, mas fica muito aquém da competência que Milos Forman e o próprio Jean Claude-Carriere são capazes de realizar.

Anotações para quem já viu o filme (Wendell - Notes)

1 - 1792 - Madri - Santo ofício da inquisição.
- Isto está realmente à venda nas livrarias? (diversas gravuras com desenhos horríveis retratando os bispos e padres como monstros). As gravuras são de Francisco Goya.

O irmão Lorenzo (Bardem) defende o pintor Goya dizendo que aquelas imagens estão retratando o mundo como ele realmente é. Os padres ficam revoltados

2 - Por que essa pintura não tem um rosto? (pergunta Ines) - Por que ela é um fantasma, responde Goya (Stellan Skarsgard)

3 - Uma mão, 2 mil réis,Duas, $ 3 mil réis. (Goya diz a Lorenzo que para aparecer as mãos há um custo extra pois elas são difíceis de pintar)

4 - Caçada do rei matando abutres

5 - Pintura da rainha montada num cavalo de madeira.

6 - O rei chega incomodando Goya que prefere que ninguém veja a pintura.

7 - Lorenzo critica o livro de Voltaire e diz como os judeus serão reconhecidos. Se chamarem a igreja de templo ou se virem um homem que esconde o penis com a mão ao urinar, ele é provavelmente circuncidado. (cuidado com esses homens, podem ser judeus ou protestantes)

8 - Inês beija o pé do anão na taverna. Após receber a intimação do Santo Ofício ela vai se apresentar.

9 - Você é Ines Bilbatua, filha de Tomás Pio Bilbatua e sua esposa Maria Isabel? Ines é interrogada.

10 - Ines é torturada. Eles não acreditaram quando ela disse que não comeu carne de porco no jantar.

11 - O pai de Ines vai pedir ajuda a Goya, para que este fale com Lorenzo e saiba como está sua filha. Ines saiu pela manhã e não havia voltado ainda. Acompanhamos na sequencia o processo de produção de uma das gravuras que os bispos olhavam no começo do filme. Quando Lorenzo vem pegar seu quadro que Goya havia pintado, este lhe diz que Tomas Bilbatua pagará o quadro.

12 - Restauração do convento de São Tomás - Tomás Bilbatúa oferece um jantar para Lourenzo e diz que irá financiar a reforma do convento.

13 - Lorenzo mente dizendo que Ines havia confessado te praticado ritor judaicos dos seus antepassados. Por isto ela vai ser julgada pelo Santo Ofício. Os irmãos encarregados dos nossos arquivos informaram-me que o Bisavô da sua avó converteu-se do judaísmo ao cristianismo na Espanha ao deixar Amsterdã, em 1624.

14 - E se meu temor à dor fosse maior que meu temor à Deus? - Questiona Goya em discussão com Lorenzo. Se é inocente das acusações Deus lhe dará forças para resistir à dor. Responde Lorenzo.

15 - Eu, Lorenzo Casamares, confesso, pela presente a despeito da aparência humana, sou de fato um filho bastardo de Chimpazé com orangotango e que tramei ingressar para igreja visando comprometer o Santo Ofício. (Tomas incita Lorenzo a assinar o documento)

16 - após mostraro quadro que havia pintado para a Rainha, Goya é chamado até os aposentos do rei que toca um trecho de uma peça para violino composta por ele próprio. Na sequencia uma homem entrar trazendo o recado de que o rei Luís da França foi decapitado há 6 dias em praça pública. "Meu primo Luís?" pergunta o rei.

15 ANOS DEPOIS (Salto temporal de 15 anos na trama do filme)

Levem uma mensagem pessoal minha, Napoleão Bonaparte, de que não assistirei passivamente enquanto os espanhóis sofrem sob a tirania de reis decadentes, do clero repressivo e de impostos estrangeiros. Sim, o rei da espanha nem espanhol é. É francês. E a rainha da espanha é italiana. " Por isso os espanhóis odeiam a família real tanto quanto odeiam a inquisição" grita um soldado após complementar a frase que ouvíamos de Napoleão, de que a rainha espanhola é Italiana.


17 - Vemos Goya narrando a invasão dos soldados franceses: Agradeco ao Senhor por não ter-me tirado a visão para que eu pudesse testemunhar e registrar o que está acontecendo aqui. Estes são soldados franceses. Os Mamelucos. Uma cavalaria especial recrutada do Egito por Napoleão (nesta cena vemos alguns dos quadros mais famosos de Goya) para a libertação da Espanha. Para nos trazer as idéias nobres da Revolução Francesa. Liberdade. Igualdade e Fraternidade. E, para defender os ideias da revolução, Napoleão, este flagelo da realeza declarou o próprio irmão José, como rei da Espanha. Mas para meus companheiros as tropas de napoleão não passam de invasores estrangeiros, usurpadores.

18 - Soldados franceses invadem a igreja, um deles atira em um padre e ordena que todos os presos pela inquisição espanhola sejam soltos, todas as terras da igreja serão confiscadas.

19 - Vemos então uma irreconhecível Inês, mais parecendo um zumbi, saindo da masmorra. (cena tosca)

20 - 1793, Madri. Foi mandada para cá pelo santo ofício. (A freira fala sobre a filha de Lorenzo) A menina fugiu quando tinha 11 anos

21 - Goya encontra Alicia enquanto fazia desenhos em uma praça chamado Jardins do Pardo. A menina é uma prostituta.

22 - Na sequencia vemos o rei da Espanha irmão de Napoleão e lorenzo olhando o quadro de Hieronymus Bosch chamado "O jardim das delícias"

23 - Vida ao rei Fernando! - O rei Fernando surge para decretar a morte de Lorenzo. Ele é capturado e julgado pela igreja.

24 - Um grupo de crianças cantando, Goya segue Ines que agarrava a mão do falecido Lorenzo. Ele estava sendo puxada por um homem em uma carroça, talvez em direção ao cemitério.

Sinopse: Nos primeiros anos do século XIX, em meio ao radicalismo da Inquisição e à iminente invasão da Espanha pelas tropas de Napoleão Bonaparte (Craig Stevenson), o gênio artístico do pintor espanhol Francisco Goya (Stellan Skarsgard) é reconhecido na corte do Rei Carlos IV (Randy Quaid). Inés (Natalie Portman), a jovem modelo e musa do pintor, é presa sob a falsa acusação de heresia. Nem as intervenções do influente Frei Lorenzo (Javier Bardem), também retratado por Goya, conseguem evitar que ela seja brutalmente torturada nos porões da Igreja. Estes personagens e os horrores da guerra, com os seus fantasmas, alimentam a pintura de Goya, testemunha atormentada de uma época turbulenta.




Milos Forman
Nome Completo: Jan Tomas Forman
Natural de: Cáslav, Tchecoslováquia
Nascimento: 18 de Fevereiro de 1932




Jean-Claude Carrière
nasceu na França, em 1931. Roteirista premiado, trabalhou com alguns dos maiores diretores de cinema, sobretudo com Luís Buñuel, com quem colaborou em O discreto charme da burguesia, Bela da tarde e Esse obscuro objeto do desejo, entre outros.

Elenco: Javier Bardem (Irmão Lorenzo) - Natalie Portman (Inés / Alicia) - Stellan Skarsgard (Francisco Goya) - Randy Quaid (Rei Carlos IV) - Blanca Portillo (Rainha Maria Luísa) - Michael Lonsdale (Padre Gregorio) - José Luís Gómez (Tomás Bilbatúa) - Mabel Rivera (Maria Isabel Bilbatúa) - Mercedes Castro (D. Julia) - Cayetano Martínez de Irujo (Wellington) - Craig Stevenson (Napoleão Bonaparte) - Jack Taylor (Chamberlain) - Aurélia Thiérrée (Henrietta) - Fernando Tielve (Álvaro Bilbatúa) - Unax Ugalde (Ángel Bilbatúa) - Julian Wadham (Joseph Bonaparte) - Simón Andreu (Diretor do asilo) - Carlos Bardem (Oficial francês) - Antonio Bellido (Juiz).

Premiações
- Recebeu 3 indicações ao Goya, nas categorias de Melhor Maquiagem, Melhor Figurino e Melhores Efeitos Especiais.

Curiosidades
- Milos Forman escalou Natalie Portman após saber que ela gostava da garota na pintura "Milkmaid of Bordeaux", de Goya.
- Quando questionado do porquê de um filme sobre Goya, uma personalidade tão característica da Espanha, ser falado em inglês, o diretor Milos Forman simplesmente respondeu que não sabia falar espanhol.
- Exibido na mostra Panorama do Cinema Mundial, no Festival do Rio 2007.

Ficha Técnica: Título Original: Goya's Ghosts - Gênero: Drama - Tempo de Duração: 113 minutos - Ano de Lançamento (EUA / Espanha): 2006 - Site Oficial: www.goyasghoststhefilm.com - Estúdio: Antena 3 Television / Kanzaman S.A. / The Saul Zaentz Company / Xuxa Producciones - Distribuição: The Samuel Goldwyn Company / Downtown Filmes - Direção: Milos Forman - Roteiro: Milos Forman e Jean-Claude Carrière - Produção: Saul Zaentz - Música: José Nieto e Varhan Orchestrovich Bauer - Fotografia: Javier Aguirresarobe - Desenho de Produção: Patrizia von Brandenstein - Direção de Arte: Eduardo Hidalgo e Ana Viana - Figurino: Yvonne Blake - Edição: Adam Boome - Efeitos Especiais: El Ranchito / Kinema Digital.
_________________________________________________________________________________

3 comentários:

  1. Achei o filme bem mais ou menos. Para mim o principal problema está no roteiro que está sempre parecendo meio perdido.
    Confesso (sem tortura mesmo) que também fiquei com vontade de rir com os cacoetes de Portman depois dos 15 anos.
    Uma produção excelente prejudicada pela falta de cuidado...

    Beijocas

    ResponderExcluir
  2. Esperava mais de Forman, mas é um satisfatório filme e um belo retrato de época histórico. Tem suas falhas mas possui inúmeras virtudes, sejam visuais ou de elenco.

    Nota 7,5

    Ciao!

    ResponderExcluir
  3. Gostei do filme, muito bom... Javier e Natalie maravilhosos! Na verdade eu não gostava muito dela antes, mas depois de vê-la nesse filme passei a gostar, por que ela faz bem o papel na segunda fase [15 anos depois] quando a personagem está louca, doente e imunda.

    Recomendo a todos, por que tem uma história bonita, que mostra como a Inquisição agia naquela época e quais as consequências para uma vítima!!!

    ResponderExcluir