sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Cão Sem Dono (Brasil,2007,82 mins)
Minha nota: [7,9] -
Por Wendell Borges - 07/11/2008

Comentário (não leia caso não tenha visto o filme ainda): Uma adaptação do romance "Até o Dia em que o Cão Morreu", de Daniel Galera com direção de Beto Brant e roteiro de Renato Ciasca e Marçal Aquino com colaboração do próprio Beto Brant.

O filme foi inteiramente rodado em Porto Alegre, contando apenas com atores locais. A belíssima atriz Tainá Muller que interpreta a modelo Marcela e o ator Júlio Andrade que interpreta Ciro, jovem recém-formado em Letras, tradutor de Russo, dão conta do recado, com interpretações convincentes.

Ciro é um jovem aparentemente apático e parece estar sofrendo de crise existencial, crise esta que aumenta ao saber da doença de sua namorada Marcela. O filme é seco, filmado com certa frieza e planos longos, o que cadencia o ritmo da narrativa. Beto Brant é um dos melhores diretores brasileiros em atividade e desenvolve um estilo o qual admiro bastante, ele está sempre em busca de liberdade criativa. Este não é seu melhor trabalho dentre os que vi até aqui, ainda continuo com O Invasor encabeçando a lista. Ainda falta ver Crime Delicado e Os Matadores.

Obs: Site do escritor do livro que inspirou o filme Cão sem Dono. Rancho Carne.


Anotações para quem já viu o filme (Wendell - Notes)

1- Seu Elomar ( o artista pintor interpretado por Luiz Carlos V. Coelho), porteiro do prédio onde Ciro (Júlio Andrade) mora dá de presente a ele um quadro que ele havia gostado (pela estranheza da pintura).
2 - Lárcio, amigo de Ana convida ela e Ciro para uma festa na casa dele. Ana conhece Marcela, esposa de Lárcio, que está grávida de 8 meses.
3 - Atropela a tia ali que nem o pai filho, Lárcio falando piada com o filho sobre o acidente no qual Ana machucou a perna.
4 - Spaciba, obrigado em Russo - Ciro falando com Lárcio e Marcela durante a festinha regada a cerveja e lasanha.
5 - Eu tenho sido um ébrio há 17 longos anos, Eu gastei todo o meu dinheiro em uísque e cerveja, Eu vou para algum fim-de-mundo, E monto o meu alambique, Se a bebedeira não me matar, não sei o que mais o fará.
6 - No apartamento de Eliomar, Ciro pega um disco de Lupicínio. Lupicínio nasceu numa noite de chuva torrencial.
7 - Isso aqui foi uma biópsia que eu fiz. È um linfoma. Eu tirei um linfoma. Eu tô doente. (Marcela fala para Ciro o porquê de seu sumiço)
8 - (...) A preguiça é o sono dos mortos. Minha euforia necessita de calma, e minha calma, de euforia. Que se foda o resto do resto da sobra do que resta. O restante é o que eu quero. O amor do instante é o instante em que estamos perto da batida perfeita. Os olhos são o início do real. Meu cigarro tem um tempo de vida, minha vida necessita de um cigarro. O que fazer? O que comer? será que minha mãe tá certa? Definitavamente, não. Preciso de um coração que bata descompassado... sem ritmo e sem melodia. Não quero a batida perfeita. Quero o descompasso. Me dê uma pista, uma lágrima, mas me dê algo.." (Ciro escrevendo poesia e bebendo após a notícia de que Marcela estava com câncer)
9 - Marcela liga para Ciro dizendo que está curada e que quer ir com ele para Barcelona. Há uma cena em que Ciro vê uma criança entrando em um quarto e ele diz, deite com sua mãe. Seria só imaginação da cabeça dele? Momentos depois ele enterra no quintal o cão ao qual havia dado o nome de Churras.

Filmografia de Beto Brant (com cotação para os filmes que já vi até a data desta postagem)
2007 - Cão sem Dono
2005 - Crime Delicado
2001 - O Invasor
1998 - Ação entre Amigos
1997 - Os Matadores
1993 - Jó (curta-metragem)
1989 - Dov'e Meneghetti? (curta-metragem)
1987 - Aurora (curta-metragem)

Sinopse: Em Porto Alegre, Ciro é um jovem desmotivado, sem planos. Formado em literatura, trabalha - de vez em quando - com tradução. Ele conhece Marcela, uma bela moça do interior do Rio Grande do Sul que veio à capital sonhando em seguir a carreira de modelo. Ao contrário dele, ela é cheia de planos e sonhos. Seu atropelamento por um taxista folgado, faz com que Marcela passe uma temporada no apartamento de Ciro. Um dia, ela desaparece e liga para o rapaz, avisando que terá de passar muito tempo longe, porque está com câncer. Talvez nunca mais se vejam. Diante desta situação, Ciro se desespera e perde o pouco do equilíbrio emocional que tinha, caindo no álcool e nas drogas.

Prêmios:
Festival de Recife - Melhor atriz: Tainá Muller / Melhor filme (Troféu Calunga)
Festival de Cuiabá - Melhor atriz: Tainá Muller

Ficha Técnica: Título original : Cão Sem Dono (Brasil, 2007)
Diretor: Beto Brant e Renato Ciasca
Elenco: Julio Andrade, Tainá Muller, Luiz Carlos V. Coelho, Marcos Contreras, Janaina Kremer, Roberto Oliveira, Sandra Possani
Idioma: Português
Legendas: Português, Inglês e Espanhol
Gênero: Drama
Duração: 82 min. Cor
Distribuidora: Europa
__________________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário