domingo, 30 de novembro de 2008

A Dupla Vida de Veronique (La Double vie de Véronique,França,1991, 98 mins)
Minha nota:[10,0] -
Por Wendell Borges - 30/11/2008

Comentário: Esta obra-prima do polonês Krzysztof Kieslowski (1941-1996) filmada antes da trilogia das cores (A liberdade é azul, A igualdade é branca e A fraternidade é vermelha) traz a excelente e belíssima atriz Irène Jacob (1966) em papel duplo que lhe valeu o prêmio de melhor atriz no festival de Cannes em 1992 e as indicações ao Globo de Ouro e o César .

A fotografia esplendorosa de Slawomir Idziak (1945) ajudam a extrair das imagens algo que beira a poesia visual. São tantas imagens maravilhosas que dá vontade de rever o filme assim que ele termina.

A trama gira em torno de Weronika, uma cantora lírica polonesa e Véronique,uma professora de música francesa, ambas interpretadas por Irene Jacob. Estas duas mulheres idênticas, tanto física quanto espiritualmente, nascidas no mesmo dia e vivendo ao mesmo tempo em locais diferentes sem saberem da existência uma da outra, inexplicavelmente mantém uma conexão que ultrapassa as leis da física, o drama com toques do gênero fantástico é conduzido de forma monumental por Kieslowski, são tantas e variadas as emoções estéticas que o filme proporciona que não tem como não colocá-lo como umas das obras-primas realizadas durante os anos 90. Outro destaque da obra é a hipnotizante trilha sonora composta por Zbigniew Preisner (1955), sem ela a linguagem visual não teria um corresponde sonoro tão brilhante.

Infelizmente o filme é daqueles com ritmo extremamente lento o que afasta a maioria dos espectadores e os faz torcerem o nariz para a obra. Este ritmo lento entretanto é usado de forma a gerar os efeitos psicológicos que a obra perpassa, principalmente com relação ao tempo subjetivo e as angústias existenciais. O roteiro foi escrito pelo próprio Kiewslowski juntamente com Krzysztof Piesiewicz (1945), que foi Co-autor de 17 roteiros de filmes dirigidos por Kieslowski. Infelizmente este grande diretor teve uma parada cardíaca e faleceu aos 55 anos em 1996, mas deixou obras-primas suficientes para enquadrá-lo como um dos grandes gênios do cinema no século XX.

Curiosidades: Slawomir Idziak partiu para os Estados Unidos e foi diretor de fotografia de algumas produções americanas como Falcão Negro em Perigo (2001), Rei Arthur (2004) e Harry Potter e a ordem de Fênix (2007).

Prêmios:
Festival de Cannes - Prêmio de Melhor Atriz (Irène Jacob)
Festival de Cannes - Prêmio FIPRESCI (Krzysztof Kieslowski)
Festival de Cannes - Prêmio do Júri Ecumênico (Krzysztof Kieslowski)
Festival de Varsóvia, Polônia - Prêmio do Júri Popular (Krzysztof Kieslowski)

Indicações: Globo de Ouro - Indicado ao Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira
Prêmios César, França - Indicado aos César de Melhor Atriz (Irène Jacob) e de Melhor Música)
Festival de Cannes - Indicado à Palma de Ouro (Krzysztof Kieslowski)

Sinopse: Véronique vive em Paris, Weronika em Varsóvia. A atriz Irène Jacob (A Fraternidade é Vermelha) interpreta essas duas mulheres que nasceram no mesmo dia e que, de alguma maneira, à distância, sentem a presença uma da outra. Essa estranha conexão interfere em suas vidas e relacionamentos.

Ficha Técnica: Direção: Krzysztof Kieslowski - Roteiro: Krzysztof Kieslowski e Krzysztof Piesiewicz - Produção: Leonardo de la Fuente - Música Original: Zbigniew Preisner - Fotografia: Slawomir Idziak - Edição: Jacques Witta - Design de Produção: Patrice Mercier - Direção de Arte: Krzysztof Zanussi - Figurino: Laurence Brignon - Efeitos Sonoros: Roger Di Ponio, François de Morant, Didier Pêcheur - País: França, Polônia, Noruega - Gênero: Drama.
_____________________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário