quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Garotas do ABC (Brasil,2003,130mins)
Minha nota: [7,0] -
Por Wendell Borges - 19/11/2008

Comentário: A belíssima atriz Michelle Valle nascida no Rio de Janeiro em 1982, modelo desde os 14 anos faz sua estréia nos cinemas neste 13º filme do diretor gaúcho Carlos Reichenbach (1945). Este é apenas o segundo filme que assisto deste famoso diretor brasileiro, o primeiro foi Dois Córregos (1999) que é bem superior a este Garotas do ABC, tanto na montagem quanto nas atuações do elenco. A trama acontece em São Bernardo do Campo, uma das cidades que compõem o grande ABC paulista (as outras são Santo André e São Caetano do Sul).

Acompanhamos o dia-a-dia da personagem Aurélia, interpretada por Michelle Valle, uma mulata de corpo escultural que é fã do ator Arnold Schwarzenegger e do personagem fictício chamado Sam Ray (uma espécie de Marvin Gaye paulista), ela trabalha com um grupo de operárias numa indústria Têxtil e namora um skinhead chamado Fábio, interpretado pelo ator Fernando Pavão, que apesar de participar de uma gangue de neonazistas, é apaixonado por Aurélia.

Entre as garotas que trabalham com Aurélia está a operária Paula Nélson, interpretada por Natália Lorda, que é assediada por um professor, líder sindical, e ajuda novas operárias a se adaptarem à rotina da fábrica. É neste ambiente que somos apresentados à personagem Antuérpia, papel de Vanessa Alves, uma mulher de 38 anos que tenta iniciar-se na profissão de tecelã. Outras personagens da fábrica como Suzana (Lucielle Di Camargo, irmã dos cantores Zezé de Camargo e Luciano), Marcinha (Vanessa Goulart), Lucineide (Fernanda Carvalho Leite), Nelinha (Marcia de Oliveira) e Indalércia (Viviane Porto) também pontuam na trama, mas sem o mesmo destaque da protagonista Aurélia.

Reichenbach em entrevista realizada por e-mail por Christian Caselli do site Contracampo definiu o filme da seguinte forma: O filme poderia se resumir assim: "Uma linda e jovem tecelã negra, fã confessa do astro Arnold Schwarzeneger, mantém uma relação apaixonada com um neonazista do ABC". Mas não é isso. O filme trata das relações de trabalho e tempo livre de dez tecelãs; por isso o subtítulo "Garotas do ABC".

A cantora Fafá de Belém faz uma ponta como a personagem Solange, dona de um clube onde as operárias frequentam. O ator Selton Mello faz o papel de Salesiano de Carvalho, líder do grupo de neonazistas. O filme não tem um bom ritmo e se torna enfadonho em alguns momentos, mas valeu todo o esforço do diretor Reichenbach que acompanhou por vários meses o dia-a-dia de várias operárias do ABC e também todo o esforço dos envolvidos em torno do projeto . O roteiro foi escrito em parceria com Fernando Bonassi.

Obs: Não deixe de ler o site oficial onde é possível ler várias curiosidades sobre tudo o que envolveu o projeto do filme.

Premiações- Ganhou 3 prêmios no Festival de Brasília, nas seguintes categorias: Melhor Ator Coadjuvante (Ênio Gonçalves), Melhor Atriz Coadjuvante (Vera Mancini) e Prêmio Especial do Júri.

Curiosidade: Inicialmente o filme se chamaria "Aurélia Schwarzenega".

Curiosidades retiradas do Site oficial de Garotas do ABC: Ao assistir o filme fiquei curioso para saber como a equipe do filme fez para construir a fábrica de tecelegam, e até pensei também que eles poderiam ter encontrado uma antiga fábrica que pudesse servir de cenário. A produção localizou a tradicional fábrica de cobertores Tognato, em São Bernardo, que estava desativada e que, por acaso, ficava há duas quadras da Vera Cruz. Era o local perfeito.

As Protagonistas: As seis personagens-título: Aurélia, a linda negra que é fã de Arnold e namora um neonazista; Paula Nélson, a mais competente do grupo, uma espécie de mãezona que tem problemas sérios em se relacionar com os homens; Antuérpia, a mais nova das funcionarias embora a mais velha do grupo, que tenta desesperadamente recuperar o filho legalmente "seqüestrado" por sua rica e poderosa sogra; Lucineide, a mais sensual e desinibida de todas, a rainha do Clube Democrático, que, incons-cientemente, flerta com a prostituição; Suzana (Suzy Di) uma casta tecelã que perde partes de seu lindo e frágil corpo por amor ao trabalho e ao patrão. E, finalmente, Arlete, a doce porralouca que sai da Febem masculinizada e aprende a amar os homens a partir de seu contato com os teares. Arlete seria a única personagem que aparecia num único filme; todas as demais se revezariam em aparições constantes em todos os filmes. Outras cinco personagens, fariam parte permanente do universo de ABC - Clube Democrático: Marcinha Zarolha, Kinuyo Sugawa, a menor de idade Nelinha, a negra e sorridente Indalércia, e Nair, uma tecelã extraordinária com uma outra - e a mais antiga - profissão.

Sam Ray - O ídolo de Aurélia: Uma das grandes curiosidades ocorridas no processo de pesquisa no ABC, durante o período das Bolsas Vitae, que obrigou a mim e ao maestro Nelson Ayres a encontrar uma solução ardilosa e brasileira foi descobrir em Marvin Gaye (1939-1984 - o falecido ídolo americano da musica soul) o caminho para entender o universo de sonhos, ambições profissionais e amores do grupo social que desejava retratar: a operária negra. Tentamos, durante todo o período de pré-produção, comprar os direitos de dois sucessos do ídolo maior da lendária gravadora Motown para incluir na trilha sonora. Sua editora e gravadora nos Estados Unidos não se dignou nem em estipular valores, tratando a produtora executiva Maria Ionescu com a arrogância do silêncio. Mais uma vez tivemos que elaborar uma solução emergencial. Ouvindo casualmente um dos cds que acompanham a revista inglesa Future Music, que eu assinava na época, fiquei fascinado com o grupo inglês Subverse, que recuperou a beleza dos timbres dos tradicionais órgãos Hammond (o mesmo timbre típico do anos 60, que tentei reproduzir em "Alma Corsária") e então, eu tive a idéia. Liguei para o Nelson Ayres e pedi para ele inventar SAM RAY: "o papa do soul" e mago dos órgãos Hammond. Ayres chamou Marcos Levy, o Xuxa, o tecladista e arranjador de Paula Lima, apaixonado por Marvin Gaye, e ambos fizeram surgir o ídolo de Aurélia e de todas as operárias negras do ABC. Sam Ray só aparece em cartazes e capas de disco na casa de Aurélia e de suas colegas de fábrica. Suas feições são as do diretor de produção, e querido amigo, Rui Pires, fotografado de todos os ângulos possíveis ao lado de um belo teclado Hammond. Em tempo: Sam Ray é uma homenagem explícita a dois de meus diretores favoritos, Samuel Fuller e Nicholas Ray.

Sinopse: Em São Bernardo, numa fábrica de têxteis, um grupo de operárias é liderado por Aurélia, fã de Arnold Schwarzernegger, que adora homens musculosos. Se apaixona por Fábio, um neonazista que integra uma gangue que pratica atentados contra negros e nordestinos.

Elenco detalhado + Trilha Sonora

As Operárias: Aurélia: MICHELLE VALLE - Antuérpia: VANESSA ALVES - Paula Nélson: NATÁLIA LORDA - Suzana: LUCIELE DI CAMARGO - Marcinha: VANESSA GOULART - Lucineide: FERNANDA CARVALHO LEITE - Nelinha: MÁRCIA DE OLIVEIRA - Indarlércia: VIVIANE PORTO - Kinuyo: LINA AGIFU - Nair: KELLY DI BERTOLLI - Carmo ANA CECÍLIA COSTA - Natália MARIANA LOUREIRO

A Família de Aurélia: Aurélio ANTONIO PITANGA - Adilson ROCCO PITANGA - Tia Tereza ÂNGELA CORRÊA - Dona Avelina NEIDE DE DEUS

Os Bons e os Maus: Fábio Tavares FERNANDO PAVÃO - Salesiano de Carvalho SELTON MELLO - André Luiz Oliveira DIONISIO NETO - Nicanor EDUARDO SOFIATI - Alemão MILHEM CORTAZ - Ruggero FÁBIO FERREIRA DIAS - Fineza PAULO BORDHIN - Maleita ALESSANDRO AZEVEDO - Rapaz do ponto de ônibus / baile MARCELO BORTOTTO

Outros personagens: Nelson Torres ÊNIO GONÇALVES - Dr. Oswaldo Sampaio ADRIANO STUART - Sofia VERA MANCINI - Solange FAFÁ DE BELÉM - Zé Ricardo ZÉ RICARDO - Participações Carinhosas : ALBENIS ALVES DO AMARAL - TATA AMARAL - BRUNO DE ANDRÉ

Banda TNT 5: SANDRINHO LIMA - DANIEL AMORIN - THIAGO AMORIM - ULLY COSTA - DUDU MARQUES

Banda Zé Ricardo: ZÉ RICARDO - JORGE AILTON - CLÁUDIO COSTA - MAURÍCIO PIASSAROLLO - CEZINHA

Trilha Sonora:
Sam Ray "O Despertar" (Aurélia acorda nua e veste o uniforme) Autores: Nelson Ayres e Marcos Levy
"Garotas do ABC" (Saída das operárias) Autor: Nelson Ayres
"Represa/Sexo" (Fábio despe Aurélia) Autor: Nelson Ayres
"Choro do Adeus" (Os Teares) Autor: Nelson Ayres
"Paula" (Paula Nelson e André Luiz) Autor: Nelson Ayres
Sam Ray "Strip-tease" (Aurélia e Fábio no depósito) Autor: Marcos Levy
"Asfalto" (Aurélia perdida nas Marginais) Autor: Nelson Ayres
"Sonho de Aurélia" (Aurélia imagina o pai no depósito) Autor: Nelson Ayres
"Pedreira" (Salesiano e Fábio na pedreira) Autor: Nelson Ayres
"Cicatrizes" (as cicatrizes de Suzana e Dr.Mazini) Autor: Nelson Ayres
Sam Ray "Disco Novo" (Aurélia ganha CD de Sam Ray) Autor: Nelson Ayres e Marcos Levy
"Volta por Cima" (pagode na feijoada) Autor: Paulo Vanzolini
TNT 5 "Eva Trol" - (Clube Democrático 1) Autor: Carlos Reichenbach (arranjo: Nelson Ayres)
TNT 5 "Catarina" - (Clube Democrático 2) Autor: Carlos Reichenbach (arranjo: Nelson Ayres)
TNT 5 e Fafá de Belém "Pecados de Amor" (apresentação de Solange - Fafá de Belém) Autor: Nelson Ayres
Zé Ricardo e Banda "Com Ela" –Autor: Zé Ricardo
Zé Ricardo e Banda "Swing Democrático" –Autor: Zé Ricardo
Excertos da ópera "Rienzi" (cortejo com motos e Fábio abandonando Salesiano) Autor: Richard Wagner (arranjos de Alexandre Guerra e Nelson Ayres)
"Morrer Várias Vezes" (morte de Fábio no mar) Autor: Nelson Ayres
Fafá de Belém & Zé Ricardo "Olhos Coloridos" (créditos finais) Autor: Macau

Locações: Filmado nas cidades de São Bernardo, São Caetano, Santo André, Diadema, São Paulo, Suzano e Bertigoa.

Ficha Técnica: Título original: Garotas do ABC (Brasil, 2004)- Diretor: Carlos Reinchenbach - Extras: Making of, Cenas Excluídas, Comentário em Áudio do diretor, Matéria sobre Trilha sonora e Arranjos, Relação das Músicas Executadas, e o curta-metragem de Carlão, "Equilíbrio e Graça"Idioma: Português (2.0 e 5.1)Legendas: Português, Inglês, Francês, EspanholGênero: DramaDuração: 125 min. CorDistribuidora: Europa.
_________________________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário