domingo, 2 de novembro de 2008

Ó Paí, Ó (Brasil,2007, 96 mins)
Minha nota: [7,4] -
Por Wendell Borges - 02/11/2008

Comentário (não leia caso não tenha visto o filme ainda): A diretora e roteirista Monique Gardenberg, aqui em seu terceiro longa-metragem (Jenipapo/1996 e Benjamim/2003) tenta criar um painél de tipos baianos enfeitando o filme com alguns números musicais de ritmos afro-brasileiros e trilha sonora recheada de músicas de Caetano Veloso, Dira Moraes e vários sucessos dos grupos Araketu, Olodum e Timbalada. Porém, o grande problema deste Ó Paí, Ó (algo como “olhe para isso, olhe”, em “baianês”) são os personagens estereotipados que pululam na tela a todo instante. Não há um desenvolvimento mais profundo das personagens que soam bastante caricatas fazendo com que o filme perca muito principalmente nos momentos que deveriam ser dramáticos, é o caso da cena final com a desnecessária morte dos filhos de Dona Joana, os meninos Cosme e Damião.

São muitas personagens em cena, temos Roque (Lázaro Ramos), um pintor que quer tornar-se um cantor famoso, o travesti Yolanda (Lyu Arisson), o bissexual taxista Reginaldo (Érico Brás) e sua esposa Maria (Valdinéia Soriano), a dançarina recém-chegada chamada Rosa (Emanuelle Araújo), a Professora interpretada por Jamile Alves, o explorador e traficante Boca (Wagner Moura), a lésbica chamada Neuzão (Tânia Tôko), a jogadora de búzios Raimunda (Cássia Vale), Carmen (Auristela Sá), que mantém um pequeno orfanato em seu apartamento e também realiza abortos clandestinos e Dira Paes no papel de Psilene, recém-chegada da Europa contando vantagem para esconder seus sofrimentos lá como uma prostituta.

O filme é colorido, tem momentos vibrantes, mas como comédia musical deixa a desejar. Vale apenas por alguns bons momentos como a discussão de Roque com Boca sobre o racismo e a atuação sempre vibrante de Lázaro Ramos que carrega nas costas boa parte da energia que o filme tenta impregnar.

Sinopse: Em um animado cortiço do centro histórico do Pelourinho, em Salvador, tudo é compartilhado pelos seus moradores, especialmente a paixão pelo Carnaval e a antipatia pela síndica do prédio, Dona Joana (Luciana Souza). Todos tentam encontrar um lugar nos últimos dias do Carnaval, seja trabalhando ou brincando. Incomodada com a farra dos condôminos, Dona Joana decide puni-los, cortando o fornecimento de água do prédio. A falta d'água faz com que o aspirante a cantor Roque (Lázaro Ramos); o motorista de táxi Reginaldo (Érico Brás) e sua esposa Maria (Valdinéia Soriano); o travesti Yolanda (Lyu Arisson), amante de Reginaldo; a jogadora de búzios Raimunda (Cássia Vale); o homossexual dono de bar Neuzão (Tânia Tôko) e sua sensual sobrinha Rosa (Emanuelle Araújo); Carmen (Auristela Sá), que realiza abortos clandestinos e ao mesmo tempo mantém um pequeno orfanato em seu apartamento; Psilene (Dira Paes), irmã de Carmen que está fazendo uma visita após um período na Europa; e a Baiana (Rejane Maia), de quem todos são fregueses; se confrontem e se solidarizem perante o problema.


Anotações para quem já viu o filme (Wendell - Notes)

1 - pelourinho agora é ACM: Ação, competência e moralidade.

2 - Carmem bate boca com uma mulher chamada Lucia no pelourinho.

3 - Roque visita Mãe Raimunda e Raimundinho para filar um rango.

4 - Reginaldo e Carmem vão pegar Psilene no aeroporto. Carmem fala dos 7 filhos dela todos criados, os gêmeos estão tocando na banda Olodum.

5 - "I will be back", diz Ronaldinho ao combinar com Psilene (Dira Paes) de pegá-la às 3 horas.

6 - A professora (Jamile Alves) entra em um bar trazendo um abaixo assinado e pede para Neuza assinar. Neuza assina tranquilamente admirando os seios da Professora, mas quando esta chega até um homem chamado Matias, este indignado solta o verbo: Eu não vou assinar porra nenhuma. Por que voces professores passam o ano inteiro fazendo greve. Meus filhos vão pra escola é pra estudar. Eu não tenho culpa que ganhem pouco. O governo pagar para a senhora dar aula não pra senhora ficar no bar do reggae não, rapaz.

7 - Roque canta para Rosa (Emanuelle Araujo) enquanto esta dança para ele.

8 - Os filhos de Dona Joana, os meninos Cosme e Damião passam o dia roubando e fazendo molecagem.

9 - O Elevador Lacerda em Salvador, famoso ponto turístico da cidade é mostrado quando Psilene passeia com o bissexual Ronaldo.

10 - Yolanda "Marilson" é o travesti interpretado por Lyu Arisson.

11 - O nome verdadeiro do personagem de Wagner Moura, o Boca, é Moisés.

12 - Stênio Garcia interpreta Seu Jerônimo, ele está tendo problemas com assaltantes em frente ao seu estabelecimento.

13 - Mario, o marido de Dona Joana (Luciana Souza) está no interior resolvendo problemas da família, pelo menos é isto que Joana conta a Psilene, mas realmente o que fica na cabeça é que ele deve estar lá é farrando com outras mulheres.

14 - A mulher vai pro estrangeiro e volta um mulambo desses. (Joana pensando sobre o que Psilene havia contado sobre seu amante francês)

15 - Roque é chamado por Tatau para subir no palco do Araketu e canta com ele a música: "“Protesto do Olodum Lá Vou Eu” , esta música foi escrita pelo próprio Tatau e nesta mesma sequência aparecem cantando: Margareth Menezes e Daniela Mercury.

16 - Cena completamente desnecessária a morte dos filhos de Dona Joana, sem dramaticidade e totalmente forçada.

17 - Ao som da música E lá vou eu Psilene transa com o taxista Reginaldo enquanto Roque se agarra com Rosa. Neusa, a lésbica beija a professora na boca.

18 - Este filme é dedicado ao Bando de Teatro Olodum.

Filmografia (Lázaro Ramos nasceu em Salvador em 01/11/1978)
Abaixo coloco cotações para os filmes com o ator Lázaro Romes que vi até a data desta postagem.

2007 - Saneamento básico, o filme -
2007 - Ó paí, ó -
2006 - A máquina -
2006 - Cafundó
2005 - Desejo (curta-metragem)
2005 - Cidade baixa -
2005 - Quanto vale ou é por quilo? -
2005 - Meu tio matou um cara -
2004 - Nina -
2003 - O homem que copiava -
2003 - O homem do ano -
2003 - Carandiru -
2002 - As três Marias
2002 - Madame Satã
2000 - Sabor da paixão (Woman on top)
1998 - Cinderela baiana
1995 - Jenipapo (como figurante quanto tinha apenas 15 anos)

Premiações
- Recebeu 2 indicações ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, nas categorias de Melhor Ator (Lázaro Ramos) e Melhor Roteiro Adaptado.

Curiosidades
- "Ó paí, ó" é uma gíria baiana que significa "olhe para aí, olhe".
- A peça "Ó, Paí, Ó" estreou em Salvador em 1992.
- Era intenção de Caetano Veloso dirigir a adaptação de "Ó Paí Ó" para o cinema, mas o cantor desistiu da empreitada em 1997.
- Lázaro Ramos trabalhou como figurante em Jenipapo, filme dirigido por Monique Gardenberg em 1994. Na época o ator tinha apenas 15 anos.
- Este é o 8º de 9 filmes em que os atores Wagner Moura e Lázaro Ramos atuam juntos. Os demais foram Sabor da Paixão (2000), As Três Marias (2002), Carandiru (2003), O Homem do Ano (2003), Nina (2004), Cidade Baixa (2005), A Máquina (2006) e Saneamento Básico, O Filme (2007).
- A diretora Monique Gardenberg conheceu Vinícius Nascimento, intérprete de Cosme, por acaso no Pelourinho, após voltar a pé de uma visita a locações.
- Felipe Fernandes foi selecionado para o personagem Damião após passar por um teste no Teatro Senac do Pelourinho, em que participaram mais de 200 crianças. Esta seleção ocorreu apenas uma semana antes do início das filmagens.
- A 1ª cena a ser rodada foi a que se passa durante o Carnaval.

Trilha Sonora

“É d'Oxum”
Escrita por Gerônimo Santana & Vevé Calazans
Interpretada por Jauperi

“Ilha de Maré”
Escrita por Lupa & Walmir Lima
Interpretada por Mariene de Castro

“Ó Paí, Ó”
Escrita por Caetano Veloso & Davi Moraes
Interpretada por Jauperi & Caetano Veloso

“Protesto do Olodum Lá Vou Eu”
Escrita por Tatau
Interpretada por Tatau, Margareth Menezes, Daniela Mercury, Denny, Lázaro Ramos

“Ralé”
Escrita por Carlinhos Brown, Gerônimo Santana, Alain Tavares
Interpretada por Timbalada

“Araketu Bom Demais”
Escrita por Dinha
Interpretada por Araketu

“Salvador Não Inerte”
Escrita por Bobôco, Beto Jamaica
Interpretada por Olodum

“Corre Corre Lambretinha”
Escrita por João de Barro
Interpretada por Timbalada

“Canto do Mundo”
Escrita por Caetano Veloso
Interpretada por Lázaro Ramos

“Eu Sou Negão”
Escrita por Gerônimo Santana
Interpretada por Gerônimo Santana

“Sonho Aventureiro”
Escrita por Tonho Matéria, Tadeu Nogueira
Interpretada por Lázaro Ramos

“I Miss Her”
Escrita por Lázaro Negrumy
Interpretada por Lázaro Negrumy, Virginia Rodrigues

“Tô Carente”
Escrita por Edu Luppa, Tivas Miguel, Marquinhos Maraial
Interpretada por Banda Calypso

“Na Beira da Praia”
Escrita por Matuzalém
Interpretada por Nara Costa

“Vem Meu Amor”
Escrita por Silvio, Guio
Interpretada por Lázaro Ramos

Filmografia - Diretora: Monique Gardenberg
2007 - Ó Paí, Ó
2003 - Benjamim
1996 - Jenipapo
1993 - Diário noturno (curtametragem)
1989 - Day 67 (curtametragem)

Elenco: Lázaro Ramos (Roque) - Stênio Garcia (Seu Jerônimo) - Wagner Moura (Boca) - Luciana Souza (Dona Joana) - Dira Paes (Psilene) - Érico Brás (Reginaldo) - Tânia Tôko (Neuzão da Rocha) - Emanuelle Araújo (Rosa) - Rejane Maia (Baiana) - Lyu Arisson (Yolanda) - Valdinéia Soriano (Maria) - Jorge Washington (Mattias) - Cássia Vale (Mãe Raimunda) - Auristela Sá (Carmem) - Virgínia Rodrigues (Bioncê) - Edvana Carvalho (Lúcia) - Leno Sacramento (Raimundinho) - Cristóvão Silva (Negócio Torto) - Vinícius Nascimento (Cosme) - Felipe Fernandes (Damião) - Cidnei Aragão (Peixe Frito) - Mateus Ferreira da Silva (Mateus) - Nauro Neves (Lord Black) - Merry Batista (Dalva) - Natália Garcez (Lia) - Tatau (Tatau) - Telma Souza (Feirante) - Lázaro Machado (Pastor) - Jamile Alves (Professora) - Gustavo Mello (Guarda) - Nívea Pita (Fiel possuída) - Anselmo Costa (Radialista - voz)

Ficha Técnica: Título Original: Ó Paí, Ó - Gênero: Comédia - Tempo de Duração: 98 minutos - Ano de Lançamento (Brasil): 2007 - Site Oficial: www.opaio.com.br - Estúdio: Dueto Filmes / Europa Filmes / Globo Filmes - Distribuição: Europa Filmes - Direção: Monique Gardenberg - Roteiro: Monique Gardenberg, baseado na peça teatral de Márcio Meirelles - Produção: Augusto Casé, Paula Lavigne e Sara Silveira - Música: Caetano Veloso e Davi Moraes - Fotografia: Eduardo Miranda - Direção de Arte: Vera Hamburger - Figurino: Bettine Silveira - Edição: João Paulo de Carvalho e Giba Assis Brasil.
_____________________________________________________________________________________

2 comentários:

  1. Ei Wendell, tudo bem? Você passou lá pelo Moviola Digital perguntando se eu sabia um site para comprar O Arco. Tentei procurar mas não encontrei cara. Que difícil, viu! Você achou? Pelo menos conheci seu blog, gostei bastante e é cheio de informação. Não sei como você consegue assistr a tanto filme assim no mês. Vou linkar lá no Moviola.

    Ó Paí Ó é um filme que eu gosto justamente pelo exagero daquelas situações do povo do pelô, tão característico e marcante. Existe uns momentos que isso extrapola, mas o filme é engraçadíssimo.

    E por falar nisso, tu viu a série que a Globo começou a exibir? Uma negação, mal dirigido, mal roterizado e muito mal editado. Viquei envergonhado. Já tava até vendo a merda que ia ser esse seriado na TV.

    É isso cara, espero vir mais aqui. Abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto muito do filme, acho até que dei uma nota exagerada à ele no mneu blog, mas o povo baiano me enfeitiça...

    Nem vi e nem quero ver o seriado da globo, me dá medo...

    Abraços...

    ResponderExcluir