terça-feira, 25 de novembro de 2008

Sorrisos de uma noite de Amor (Sommarnattens leende,Suécia,1955,108 mins)
Minha nota: [8,5] -
Por Wendell Borges - 25/11/2008 [ Postagem ainda em edição]

Comentário: Encerramento da Mostra 3 décadas de Ingmar Bergman realizada no Centro Cultural Banco do Nordeste aqui em Juazeiro do Norte. Foram exibidos 4 filmes do mestre sueco, Monika e o Desejo (1953), dia 12/11, Noites de Circo (1953) e Sonhos de Mulheres (1955), dia 18/11 e hoje foi exibido o filme Sorrisos de uma Noite de Amor (1955).

Este não é um dos meus filmes preferidos de Bergman, apesar do grande reconhecimento da crítica e da premiação em Cannes como Melhor Humor Poético, penso que este é um trabalho menor quando comparado a filmes como Morangos Silvestres, O sétimo selo, Persona e A Fonte da Donzela. Mas claro que não deixa de ser um trabalho magistral, já que estamos falando de um dos gênios que ajudaram a transformar o cinema em uma forma de arte.

Com seu talento para conduzir o elenco e fazer grandes encenações, Bergman escalava em seus filmes um grupo de atores que trabalhavam com ele seguidamente. Este elenco é um dos elementos que abrilhantam o filme. Destaque para as interpretações de Eva Dahlbeck (1920-2008), no papel de Desiree Armfeldt, Harriet Andersson (1932), como a empregada chamada Petra, Gunnar Bjornstrand (1909-1986) como o advogado Fredrik Egerman e seu adversário, o conde Carl Magnus, interpretado por Jarl Kulle (1927-1997).

A trama gira em torno de Fredrik, casado há dois anos com a jovem Anne Egerman, interpretada pela atriz Ulla Jacobsson (1929-1982), os dois mantém uma relação quase que de pai e filha, pois apesar do tempo de casados Anne continua virgem. Certa noite, Anne escuta Fredrik susurrar o nome de Desiree Armfeldt, uma atriz que já foi sua amante e por quem ele ainda sente uma intensa atração física e amorosa.

Quando Fredrik e Anne vão assistir a uma peça na qual Desiree é protagonista, Anne se entristece ao ver a beleza de sua rival. Para apimentar a situação, o filho de Frederick, um estudante de teologia chamado Henrik, interpretado pelo ator Bjorn Bjelfvenstam,está apaixonado por Anne.

O atual amante de Desiree, o conde Carl Magnus, chega de surpresa quando Fredrick estava fazendo uma visita a ela, Carl e Fredrick começam a travar um duelo que permeará toda a trama. O filme ainda trás mais duas personagens, a esposa do conde, a Sra. Charlotte Malcolm, vivida pela atriz Margit Carlqvist (1932) e a mãe de Desiree, interpretada por Naima Wifstrand (1890-1968).

Desiree convida Fredrick, sua esposa e filho para um jantar. Decidida a ter o amante Fredrick de volta ela arma um plano que envolve também o conde Carl Magnus e sua esposa Charlotte. Petra acaba se envolvendo com um cocheiro da fazenda por quem se apaixona. No final, todos terminam acompanhados e dando continuidade às suas vidas amorosas. O amor sorriu para todos os personagens. Comédia leve e poética escrita e dirigida por um dos grandes gênios das sétima arte.


Anotações para quem já viu o filme (Wendell-Notes)

1 - Petra fica com o cocheiro no fim do filme. Por esta eu não esperava. O gordinho chegou de mansinho, como quem não queria nada e acabou fisgando a bela Petra. Anne fugiu com Henrik, o conde voltou para sua esposa e Desiree fica com Fredrick.

Prêmios: Festival de Cannes - Prêmio de Melhor Humor Poético
Indicações: Academia Britânica - Indicado aos Prêmios de Melhor Filme, Melhor Ator (Gunnar Björnstrand) e Melhor Atriz (Eva Dahlbeck)

Ficha Técnica: Direção: Ingmar Bergman - Roteiro: Ingmar Bergman - Produção: Allan Ekelund - Música Original: Erik Nordgren - Fotografia: Gunnar Fischer - Edição: Oscar Rosander - Design de Produção: P. A. Lundgren - Figurino: Mago - País: Suécia - Gênero: Comédia, Romance.
________________________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário