terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Arquitetura da destruição (Undergangens arkitektur, Suécia, 1989. 119 mins)
Minha cotação:
Gênero: Documentário
Por Wendell Borges - 16/12/2008

Comentário: Embelezar o mundo à custa da morte de milhões de seres humanos? É difícil entender esta ideologia dos nazistas, entender como foi possível que ela tenha feito com que milhões de pessoas a seguissem e a defendessem. Uma das respostas é a lavagem cerebral provocada pela propaganda nazista, que se valia das obras de arte para fazer uma suposta higiene mental na classe proletária. Hitler parecia ser um artista frustrado que com mania de grandeza buscou criar um mundo onde um ser humano superior fosse fabricado através da valorização da arte clássica grega e romana e o extermínio do povo judeu e de todos os seres nascidos com defeitos físicos ou mentais. O documentário escrito, dirigido e produzido por Peter Cohen com narração de Bruno Ganz é um daqueles trabalhos monumentais que nos ajudam a enteder este fascinante e aterrador momento da história da humanidade.


Anotações para quem já viu o filme (Wendell - Notes)


1 - "O maior princípio de beleza é a saúde" - Hitler
2- Hitler adquire a estátua grega "O Discóbolo"
3 - "Eutanásia" significa ajudar alguém que sofre a morrer. No contexto do Nazismo a palavra toma outro sentido.
4 - 1939, a Alemanha invade a Polonia, começa a segunda guerra.
5 - Escultores como Arno Breker e Josef Thorak ajudaram a construir estátuas grandiosas para o deleite de Hitler
6 - Pintores do Nazismo: Franz Defregger - Hans Makart - Rudolf Epp - Franz Von Stuck
7 - Geli Raubal, sobrinha de Hitler que se suicidou em 1931. Julius Schreck, motorista de Hitler.
8 - Artistas considerados degenerados pelos nazistas: OsKar Kokoschka - Emil Nolde - Franz Marc (1880-1916) - Max Beckmann - Jankel Adler - Ernst Ludwig Kirchner.

Sinopse: [Fonte:Epipoca] - Um dos melhores estudos já feitos sobre o nazismo no cinema, este documentário de Peter Cohen lembra que chamar a Hitler de artista medíocre não elimina os estragos provocados pela sua estratégia de conquista universal. O veio artístico do arquiteto da destruição tinha grandes pretensões e queria dar uma dimensão absoluta à sua megalomania. Hitler queria ser o senhor do universo, sem descuidar de nenhum detalhe da coreografia que levava as massas à histeria coletiva a cada demonstração. O nazismo tinha como um dos seus princípios fundamentais a missão de embelezar o mundo. Nem que, para tanto, o destruísse.

Ficha Técnica: Títulos Alternativos: The Architecture of Doom - Gênero: Documentário - Duração: 119 min. - Tipo: Longa-metragem / P&B/Cor - Distribuidora(s): Cult Filmes - Produtora(s): Poj Filmproduktion AB, SVT Drama, Sandrews, Svenska Filminstitutet - Diretor(es): Peter Cohen - Roteirista(s): Peter Cohen - Elenco: Rolf Arsenius, Bruno Ganz, Sam Gray, Martin Bormann, Dr. Karl Brandt, Arno Breker, Hermann Giesler, Josef Goebbels, Heinrich Himmler, Adolf Hitler, Wilhelm Keitel, Viktor Lutze, Jeanne Moreau, Alfred Rosenberg, Hans Schmidt-Isserstedt.
_______________________________________________________________________________________

Um comentário:

  1. Tadeu3:25 PM

    Louvavél por conseguir manter a distância necessária entr o "documento" e o espectador, o que é cada vez mais dificil de se ver hoje em dia.

    ResponderExcluir