quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Desencanto (Brief Encounter,Inglaterra,1945, 86 mins)
Minha nota: [10,0] -
Por Wendell Borges - 03/12/2008

Comentário: O diretor inglês David Lean (1908-1991) dirigiu este belíssimo drama romântico em 1945, seu 4º longa-metragem, o filme ganhou o primeiro Grande Prêmio do Festival de Cannes (algo equivalente hoje ao Prêmio Especial do Júri), e recebeu 3 indicações ao Oscar, nas categorias de Melhor Diretor, Melhor Atriz (Celia Johnson) e Melhor Roteiro, escrito pelo próprio Lean com Anthony Havelock-Allan (1904-2003) e Ronald Neame (produtores do filme) baseados na peça "Still life" de Noel Coward (1899-1973), peça de 1935.

A trama é envolvente, tem bela fotografia de Robert Krasker (1913-1981) e grandes atuações de Celia Johnson (1908-1982), que perdeu o oscar de melhor atriz para Jane Wyman de Virtude Selvagem. Lean perdeu o oscar de melhor direção para William Wyler que concorria pelo filme Os Melhores anos de nossas vidas, cujo roteiro também foi agraciado com o oscar em 1947. Vale ressaltar também a trilha sonora que tem trechos do concerto para piano nº 2 do compositor e pianista russo Sergei Vasilievich Rachmaninoff (1873-1943). [curiosidade, este concerto é também tocado no recente Homem-Aranha 3]

A trama gira em torno da dona-de-casa classe média chamada Laura Jesson, papel de Celia Johnson, e seu envolvimento amoroso extraconjugal com um clínico geral chamado Alec Harvey, papel de Trevor Howard (1913-1988). Os dois se conhecem no Salão de chá da Estação de Milford Junction, Harvey retira um cisco do olho de Laura e alguns encontros depois começam uma forte amizade que se inicia após um novo encontro inesperado no restaurante Kardomah. Eles combinam de ir ao cinema, um dos programas que Laura já fazia todas as quintas feiras, assistem juntos Amor e Trevas "Love in the mist" e "Flames of passion", que pelo que pesquisei parecem ser filmes fictícios feitos somente para serem exibidos nos trechos das cenas em que Harvey e Laura estão no cinema. Desencanto é um exelente filme, que mostra uma daquelas paixões proibidas com muito romantismo e dramaticidade. Grande obra-prima de David Lean.


Curiosidades: Não deixem de acessar o site Filmworks onde vários diálogos e trechos do filme são comentados por Tim Dirks. [em inglês]
Curiosidade 2: Ronal Neame (1911), também diretor, faria em 1972 o filme O Destino de Poseidon com Gene Hackman.

Elenco [com respectivas datas de nascimento e morte]

Celia Johnson (1908-1982) - Laura Jesson ( a dona-de-casa adúltera)
Trevor Howard (1913-1988) - Dr. Alec Harvey (o médico adúltero)
Stanley Holloway (1890-1982) - Albert Godby [ policial que paquera Myrtle Bagot ]
Joyce Carey (1898-1993) - Myrtle Bagot [Supervisora do balcão no salão de chá que paquera com Godby]
Cyril Raymond (1897-1973) - Fred Jesson [ marido de Laura]
Everley Gregg (1903-1959) - Dolly Messiter [ a amiga fofoqueira e tagarela de Laura]
Marjorie Mars - Mary Norton [ uma das amigas de Laura ]
Margaret Barton - Beryl Walters
Nuna Davey (1902-1977) - Herminie Rolandson [Ela faz uma ponta não creditada como a prima de Mary Norton]
Wilfred Babbage - Policial [policial que aborda Laura na praça]
Alfie Bass - Garçom
Wallace Bosco - Médico
Sydney Bromley - Johnnie [soldado que aparece perturbando Myrtle]
Valentine Dyall - Stephen Lynn
Richard Thomas - Bobbie Jesson (Filho de Laura) [não creditado]
Henrietta Vincent - Margaret Jesson (Filha de Laura) [não creditada]




A atriz Joyce Carey (1898-1993) que interpreta a folgosa supervisora Myrtle Bagot, é ela que leva um tapinha na bunda de Godby em uma das cenas mais engraçadas do filme. Ela tinha 47 anos quando fez Desencanto. A foto ao lado foi retirada do site Screenonline.





Anotações pessoais para quem já viu o filme (Wendell-Notes)

1 - É esse o nosso trem? Desculpe, é o trem para ketchworth? (as cidades de Milford, Leigh Green também são citadas em conversas anteriores)

2 - Bob e Margaret, são os dois filhos de Laura.

3 - "Quando na cara estrelada da noite, vejo os grandes símbolos nebulosos de um elevado" - 7 letras. [ nesta cena onde o marido de Laura estava respondendo palavras-cruzadas no jornal, ele pergunta a ela se ela sabe qual seria a palavra que completaria a cruzada, palavra de 7 letras do trecho da poesia de Keats. Laura responde que a palavra deve ser Romance. "Grandes símbolos nebulosos de um romance". Ela havia lido no Livro de versos de Oxford. Fred completa dizendo, perfeito! encaixa com "Delírio" e "Beluchistão (região montanhosa do sudoeste da Ásia, entre o Irã e o Paquistão)".

4 - Srta Lefwich e seu chapéu horroroso. [Laura se referindo a uma amiga detestável que ela vira na perfumaria e que agradece por ela não tê-la visto também]

5 - "Deixem que o mundo continue girando", música que tocava no órgão na esquina de Harris quando Laura passava.

6 - Laura pede a sua amiga Mary Norton que não desminta quando o marido dela perguntar se elas almoçaram juntas.

7 - Alec fala sobre seus estudos em medicina preventiva - Antracose, Calicose e Silicose - Doenças causadas pelo pó do carvão, do metal e do pó das rochas nas minas de ouro respectivamente).

8 - Albert Godby dá uma tapa na bunda de Myrtle, a senhora que ele encontra sempre no atendimento do Salão de chá da estação de Milford. [ esta cena é engraçada pois há um corte na hora em que Godby dá o tapa e ouvimos apenas o som da batida - A censura da época não permitia - hehehehehe]

9 - Alec recebe uma proposta para trabalhar em Johannesburgo. O irmão dele mora lá e estão abrindo um hospital.

Elenco: Celia Johnson (Laura Jesson) - Trevor Howard (Dr. Alec Harvey) - Stanley Holloway (Albert Godby) - Joyce Carey (Myrtle Barot) - Cyril Raymond (Fred Jesson) - Everley Gregg (Dolly Messiter) - Marjorie Mars (Mary Norton) - Margaret Barton (Beryl Walters) - Richard Thomas (Bobbie Jesson) - Henrietta Vincent (Margaret Jesson)

Sinopse: Laura (Celia Johnson) e Alec (Trevor Howard) se conhecem por acaso em uma estação de trem, quando ele remove um cisco do olho dela. Ele é um médico, ela é uma dona de casa. Ambos são de classe média, têm meia-idade e são razoavelmente felizes em seus casamentos. Em pouco tempo passam a se encontrar todas as quintas-feiras, mas apenas como bons amigos. Gradativamente surge uma paixão mútua e eles continuam a se encontrar regularmente, apesar de saberem que este amor é impossível.

Ficha Técnica: Título Original: Brief Encounter - Gênero: Drama - Tempo de Duração: 86 minutos - Ano de Lançamento (EUA): 1945 - Estúdio: The Rank Organisation Film Productions Ltd. / Cineguild / G.C.F. - Distribuição: Samuel Goldwyn Company - Direção: David Lean - Roteiro: Anthony Havellock-Allan, David Lean e Ronald Neame, baseado em peça teatral de Noel Coward - Produção: Noel Coward, Anthony Havellock-Allan e Ronald Neame
Música: Sergei Rachmanioff - Fotografia: Robert Krasker - Direção de Arte: Lawrence P. Williams - Edição: Jack Harris.
_________________________________________________________________________________________

3 comentários:

  1. Um dos melhores romances já feitos, juntamente com Casablanca e ...E o Vento Levou.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Esta parecer ser outra obra obrigatória...preciso procurar.

    Ciao!

    ResponderExcluir
  3. Tadeu8:54 AM

    Antes dos de chegar ao filmes "grandes" no sentido da grandeza de produção, Lean teve que mostrar seu talento em filmes menores, que só podem ser chamaddos de "menores" no que se refere a produção mesmo.

    ResponderExcluir