domingo, 14 de dezembro de 2008

Jules e Jim: Uma mulher para dois (Jules Et Jim,França, 1962)
Minha cotação:
Por Wendell Borges - 14/12/2008

Comentário: Nas palavras do próprio diretor de Uma mulher para dois, François Truffaut (1932-84) :
"Jules e Jim é um sonho: Todos nós sofremos diante do aspecto provisório de nossos amores e esse filme nos leva justamente a sonhar com amores definitivos." (1975)

É um daqueles clássicos que foram ganhando ares de filme "cult" e tornou-se uma das mais singelas, poéticas e verdadeiras lições de amor. A trama gira em torno dos amigos, o alemão Jules (Oskar Werner: 1922-1984) e o francês Jim (Henri Serre: 1931) e a relação de ambos com Catherine (Jeanne Moreau:1928). Truffaut baseou-se no romance de Henri-Pierre Roché (1879-1959) e com um elenco em perfeita sintonia criou grandes sequências como o pulo de Catherine no rio Sena, os três disputando corrida na ponte [foto da capa do DVD] e a bela cena musical quando Catherine canta "Le tourbillon de la vie" acompanhada por Albert (Boris Bassiak:1928) tocando violão.

No elenco ainda temos Vanna Urbino (1929) interpretando Gilberte, Marie Dubois (1937) como Therese e a pequena Sabine Hadepin (1955) que tinha apenas 7 anos na época, interpretando a filha de Catherine e Jules. Clássico que merece ser visto e revisto, afinal, a relação conturbada de amor retratado neste filme jamais envelheceu, pelo contrário, é o que mais vemos hoje em dia. O diferencial é que aqui os personagens procuram vivenciar seus sentimentos de forma bastante aberta e verdadeira.

Anotações para quem já viu o filme (Wendell - Notes)

1 - Você me disse: "Amo você"
- E eu: "Espere"
Eu ia dizer: "Possua-me"
Você disse: "Vá"

2 - Salvem-me! Merlim está me seguindo. [ Therese ]

3 - O céu que a gente vê é apenas uma bola oca, menor que isso. Caminhamos... com a cabeça em direção ao centro. A atração puxa em direção ao exterior sob nossos pés, em direção à sólida crosta na qual esta bolha está contida. [Catherine falando sobre o livro de um alemão que ela havia lido e gostado]

4 - Em um casal, o importante é a fidelidade da esposa. A do marido é secundária. Quem escreveu: "A mulher é natural, portanto, abominável"? [ Jules ]
- Baudelaire, mas referia-se a determinadas mulheres. [ Jim ]
- Não, às mulheres de modo geral. A descrição é magnífica. "Monstro, assassina das artes. Pequena tola, safada. Uma mistura de grande idiotice e grande depravação." Espere. Não acabei. Esta é maravilhosa. "E por que as mulheres podem frequentar as igrejas. O que elas poderiam conversar com Deus?
- Vocês são dois idiotas. [ Catherine ]
- Não disse nada.Discordo do que Jules disse às 2h.
- Então, proteste!
- Eu protesto.

5 - O país de Jules perdeu a guerra. O de Jim ganhou. Mas a rela vitória é que estavam vivos. Jules e Catherine tiveram uma filha chamada Sabine.

6 - "Deus, poupe-me da dor física. Da moral, eu me encarrego" - Albert conversando com Jules e Jim e citando uma frase de Oscar Wilde.

7 - Em cada dedo, ela usava um anel / E usava pulseiras a granel / Com uma tal voz cantava que me enfeitiçava! / Seus olhos de opala Me fascinvam Seu rosto oval Que fatal mulher fatal Que fatal mulher fatal Nos encotramos várias vezes De vista, nós nos perdemos Nós nos vimos e reaquecemos Depois nós nos separamos Para cada um, uma trilha seguida No turbilhão da vida Uma noite, eu a vi novamente De novo, sua visão me encantou De novo, sua visão me encantou Ao som dos banjos, eu reconheci o sorriso que me fascinava Sua voz fatal e seu rosto pálido Tocaram-me como nunca antes Ouvindo-a, bebi demais Esquecer o tempo, o álcool faz Acordei com um beijo quente Na minha testa ardente Um beijo quente Na minha testa ardente Nos encotramos várias vezes De vista, nós nos perdemos Nós nos vimos e reaquecemos Depois nós nos separamos Para cada um, uma trilha seguida No turbilhão da vida Uma noite, eu a vi novamente Nos meus braços caiu rapidamente, caiu de repente nos meus braços caiu rapidamente Quando a gente se encontra por que de vista se perder? Quando a gente se revê, por que se separar em vez de reaquecer? Então, nossa trilha foi seguida no turbilhão da vida A girar nós continuamos juntos, amarrados, juntos amarrados, juntos amarrados

8 - Eu queria ler "As Afinidades Eletivas" de Goethe - Catherine conversando com Jules e Jim, Jules havia emprestado o livro a Jim que prometeu trazer o livro no dia seguinte.

9 - Jim não podia deixar Gilberte nem Catherine deixar Jules. Nem Jules nem Gilberte deviam sofrer. Eram frutos do passado e desempenhavam o mesmo papel.

10 - Catherine avança com o carro e cai com Jim no rio [suicídio e assassinato?], ambos morrerm. Jules vai ao enterro. Os corpos são cremados.

Ficha Técnica: Título original: Jules et Jim (França, 1962) - Diretor: François Truffaut
Extras: Biografia de Truffaut, trailer, críticas, galeria de fotos e cartazes e "Jules e Jim: Uma Homenagem" - Idioma: Francês - Legendas: Português -
Gênero: Drama/ Romance -
Duração: 105 min. P&B - Distribuidora: Versátil
Elenco: Jeanne Moreau, Oskar Werner, Henri Serre, Vanna Urbino, Boris Bassiak, Anny Nelsen, Marie Dubois, Sabine Haudepin.
__________________________________________________________________________________________

2 comentários:

  1. Eu nunca vi nada do Truffaut. E isso é uma vergonha. =/

    ResponderExcluir
  2. Tadeu3:49 PM

    Já ouvi frases do tipo, "esse filme não me convence", porém fazendo uma lista de melhores filmes que já vi, surpreendentemente Jules e Jim ficou entre os 10.
    Parte de um ponto tão banal e vai se moldando de forma tão fantástica.

    ResponderExcluir