quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

O Gabinete do Dr. Caligari (Cabinet des Dr. Caligari., Das, Alemanha,1920, 51 mins)
Minha cotação:
Filme Mudo [Silent Movie]
Por Wendell Borges - 11/12/2008

O primeiro filme de terror da história do cinema!

Comentário: Considerado o primeiro filme de terror da história do cinema, contendo também um dos primeiros finais-surpresa, este clássico do Expressionismo Alemão [Movimento de artes gráficas, drama, literatura e cinema que floresceu na Alemanha entre 1903 e 1933], traz dois grandes atores de teatro em grandes atuações, Werner Kraus (1884-1959) no papel do Dr. Caligari e Conrad Veidt (1893-1943) como Cesare, o assassino sonâmbulo. Veidt veio a falecer com apenas 50 anos de infarto no miocárdio durante uma partida de golfe em Los Angeles, um ano depois de sua autação no clássico americano Casablanca (1942).

Dirigido em 1920 por Robert Wiene (1873-1937), e escrito por Hans Janowitz (1890-1954) e Carl Mayer (1894-1944), O Gabinete do Dr. Caligari serve de metáfora da I Guerra mundial, onde Caligari representa a figura do governo alemão controlador, apesar de no fim mostrar-se como um bondoso diretor do manicômio, onde Feher, o herói da trama, está sendo detido por apresentar um quadro alucinatório, onde imagina que o médico (Kraus) seja o lendário místico Caligari.

A direção foi inicialmente oferecida a Fritz Lang (1890-1976), outro ícone do expressionismo alemão, mas ele recusou o trabalho que foi então oferecido a Robert Wiene.

O Expressionismo alemão é tido como um movimento não só estético, no qual foram exploradas as luzes e sombras e os cenários e ângulos diferenciados , mas o estado de espírito dos artistas alemães pós-primeira grande guerra mundial. Derrotados durante a primeira guerra, os artistas captavam o sofrimento, a tristeza, o desengano nos rostos dos homens e mulheres vítimas dos sofrimentos causados pela guerra e traziam estas visões subjetivas deste cenário caótico da destruição para as telas dos cinemas.

Há uma versão francesa com 78 minutos, mas a que eu vi foi a lançada pela distribuidora de DVDs nacional, a Continental Home Video, com apenas 51 minutos. Espero que no futuro a própria Continental ou outra distribuidora consigam lançar a versão maior aqui no Brasil. Os fãs da sétima arte ficariam agradecidos.

O filme conta com a também expressiva atuação de Friedrich Feher (1889-1950) no papel de Francis, o protagonista que narra o estranho acontecimento na pequena cidade holandesa chamada Holstenwall.

No elenco ainda temos o amigo de Francis chamado Alan, interpretado por Hans Heinz von Twardowski (1898-1958) e a mulher cujo amor os dois disputam, Jane, interpretada por Lil Dagover (1887-1980).

O final, propositadamente ambíguo, mostrando o médico interpretado por Werner Kraus sendo confundido com o Dr. Caligari que Francis enlouquecidamente tenta convencer os outros de que é o mentor dos assassinatos, é simplesmente brilhante.

Dotado de tantas qualidades que vão desde o roteiro, passando pelos cenários e o estilo visual, seu valor histórico indiscutível e seu valor estético deram margem a muitos outros trabalhos que imitaram sua ousadia artística e fizeram deste filme um daqueles clássicos indispensáveis na lista de todos os amantes da sétima arte.



Curiosidade:
As várias versões de O Gabinete do Dr. Caligari :
71 min | França:78 min | Espanha:50 min | Versões americanas, uma de:67 min e a de: 51 min (video version).





O Dr. Caligari (Kraus) com seu sonâmbulo, Cesare (Conrad), o assassino. Enquanto isto, Jane (Lil Dagover) espreita ambos.










Cesare carrega o corpo de Jane numa das cenas clássicas do filme. As distorções hipnóticas mostrando o controle de Caligari sobre seu criado. Todo o filme é narrado pela visão distorcida de Feher acentuando sua loucura e deixando ao final do filme o caráter ambíguo que a obra traz.





O Elenco:




Werner Kraus (1884-1959) , o Dr. Caligari.








Conrad Veidt (1893-1943) na hipnotizante performance do sonâmbulo assassino Cesare. Veidt faleceu com apenas 50 anos de um infarto no miocárdio durante uma partida de golfe em Los Angeles.








Lil Dagover (1887-1980) , a personagem Jane. A paixão de Francis.







Friedrich Feher (1889-1950) interpreta Francis. Feher também foi diretor tendo realizado mais de 20 filmes entre 1913 e 1936.

[A FOTO AO LADO FOI RETIRADA DO SITE WWW.LIKETELEVISION.COM ] Link aqui.



Disponível para download em: [Clique na imagem abaixo para acessar a página]
1G - MPEG2 e 512kb em MPEG4




[ CLIQUE AQUI OU NA IMAGEM AO LADO]





Outro poster:
Este belo poster do filme foi retirado do site: http://www.campusi.com





















Dicas:


1. Lil Dagover (1887-1980) - http://www.leninimports.com/lil_dagover.html [em inglês] - Conrad Veidt atuou em filmes como O Ladrão de Badgá (1940) e Casablanca (1942).

2. Não deixem de visitar a seguinte página sobre o Expressionismo alemão contendo um detalhado enredo do filme O Gabinete do Dr. Caligari. Link: http://www.geocities.com/contracampo/expressionismoalemao.html


Anotações para quem já viu o filme (Wendell - Notes)

1 - Um conto do re-aparecimento moderno de um mito do século XI envolvendo a estranha e misteriosa influencia de um monge das montanhas sobre um sonambulo.

2 - "Os espíritos nos cercam por todos os lados. Eles me afastaram do meu coração, lar, de minha esposa e filhos."

3 - " O que eu e ela experimentamos é ainda mais estranho que a história que me contou. Contareia você ... Em Holstenwall, onde eu nasci uma feira itinerante tinha chegado e com a feira veio um monge, Meu amigo, Alan..."

4 - Sr. Francis, Sr. Francis, Mestre Alan está morto, assassinado.

Sinopse: Num pequeno vilarejo da fronteira holandesa, um misterioso hipnotizador, Dr. Caligari (Krauss), chega acompanhado do sonâmbulo Cesare (Veidit) que, supostamente, estaria adormecido por 23 anos. À noite, Cesare perambula pela cidade, concretizando as previsões funestas do seu mestre, o Dr. Caligari. Um dos filmes mais importantes de todos os tempos.

Ficha Técnica: Direção: Robert Wiene -Roteiro: Hans Janowitz, Carl Mayer - Gênero: Drama/Terror - Origem: Alemanha - Duração: 71 minutos.
_________________________________________________________________________________

Um comentário:

  1. Tadeu4:33 PM

    Uma das minhas grandes vergonhas como cinéfilo é nunca ter tido acesso a essa obra. Mais fica a expectativa.

    ResponderExcluir