sexta-feira, 17 de julho de 2009



132 - Jornada nas Estrelas: Nêmesis [EUA, 2002, 116 mins, Direção: Stuart Baird]:

Comentário:

Filme visto dia 09 de Julho/2009


Comentário: O filme mais fraco de Jornada nas Estrelas até o momento, e agora sim posso dizer isto após ver os 11 filmes já produzidos até 2009. Desta vez não temos Jonathan Frakes, o Capitão Riker na direção do filme, ele foi o responsável pela direção dos dois filmes anteriores da franquia, o filme foi então entregue ao inglês Stuart Baird (Momento crítico e U.S. Marshals) que pegou um roteiro fraco e não teve como salvar o material que tinha em mãos, alguns diretores conseguem fazer mágica pegando roteiros ruins, não foi o caso de Baird. Os problemas de Nêmesis vão desde o vilão, Tom Hardy no papel de Praetor Shinzon, um Clone do capitão Pikard (pelo menos é assim que ele é mostrado no filme) que assim como o vilão do Jornada anterior, Insurreição (1998), não tem presença de cena nenhuma, o ator é apático e não convence como vilão, e juntamente com Shinzon temos Ron Perlman no papel de Reman Viceroy Vkruk, também bastante apático como Vilão por detrás de pesada maquiagem escondendo as feições já bastante exóticas do ator; outro grande problema do filme é o ritmo, cansativo, com trama desinteressante e salva-se apenas algumas boas cenas de ação, retirando é claro a ridícula cena do Jipe logo no início do filme. Vale ressaltar o bom início com o casamento entre Riker (Frakes) e Deanna (Sirtis) e a cena no Senado Romulano e a sempre competente atuação de Patrick Stewart como Picard e Brent Spiner como o andróide Data. Uma pena realmente, o filme foi fracasso de bilheteria na época, justificado pela péssima campanha de Marketing unidos ao fraco roteiro, um grande desperdício de US$ 70 milhões. A decisão então de esperar pelos 7 anos para voltar a arriscar com a franquia foi acertada, recentemente pude conferir o Star Trek de J. J. Abrams que trouxe fôlego novo à esta grande produção de Ficção/Fantasia que já povoa a imaginação de milhares de pessoas há mais de 40 anos.


__________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário