terça-feira, 28 de julho de 2009

A Partida, Okuribito,Japão, 2008, 130 min
Direção: Yôjirô Takita
Roteiro: Kundo Koyama, inspirado no livro Coffinman: The Journal of a Buddhist, de Aoki Shinmon
Elenco: Masahiro Motoki, Tsutomu Yamazaki, Ryoko Hirosue, Kazuko Yoshiyuki
Site Oficil em Inglês: A Partida [US]

Por Wendell Borges - Filme visto dia 28/07/2009

Cotação
Valor artístico:
1/2
Valor de entretenimento: 1/2

Comentário:
O vencedor do Oscar de Melhor filme estrangeiro de 2009 é um belo filme de apelo universal sobre um jovem que vive conflitos com seu passado e termina se tornando um 'nokanshi', uma combinação entre agente funerário e religioso, aqui no caso adequando o ritual às específicas religiões dos falecidos. O roteiro escrito por Kundo Koyama, baseado no livro Coffinman: The Journal of a Buddhist, de Aoki Shinmon, embora esquemático, tem uma beleza rara encontrada em poucos filmes e consegue emocionar, retirando as previsibilidades do roteiro, cujos conflitos são leves e resolvidos rapidamente, o que mais vemos em cena são os poéticos momentos ritualísticos da preparação dos mortos para cremação, além dos preconceitos de alguns personagens que vão sendo quebrados após assistirem a um dos rituais de preparação para a cremação.

A trama gira em torno de Daigo (Masahiro Motoki), ele é um cellista que após perder o emprego na orquestra na qual trabalhava, acaba retornando ao campo junto da esposa Mika Kobayashi (Ryoko Hirosue) e lá encontra um emprego que sofre preconceitos por muitas pessoas, ser um nokanshi é visto como uma espécie de castigo, causando também repugnância pelos que não entendem ou não assistiram aos rituais. No elenco principal além de Masahiro e Ryoko temos Tsutomu Yamazaki como Shōei Sasaki, o homem que ensina a profissão de nokanshi a Dairo e Kazuko Yoshiyuki como Tsuyako Yamashita, a dona da Casa de Banhos.

Destaque para a trilha sonora de Joe Hisaishi que além da bela canção-tema de sua autoria - traz peças como o Hino à Alegria, da Nona Sinfonia, de Beethoven, tocado com coro e orquestra em um dos melhores momentos do filme, a Ave Maria, de Gounod que Daigo toca para celebrar um momento com seu chefe Tsuyako e a ajudante Yuriko Uemura, e o Wiegenlied, também em solo de violoncelo. Após ver A Valsa de Bashir, Entre os Muros da Escola e este A Partida, fiquei num grande impasse, pois como é difícil premiar apenas um filme, contudo, acredito que até o momento, ainda falta conferir o filme austríaco "Revanche" de Götz Spielmann e o alemão Der Baader Meinhof Komplex de Uli Edel, acredito que o prêmio deveria ter sido entregue a Entre os muros da Escola, mas A Partida é o que mais tem cara de Oscar entre os três conferidos.


ELENCO
Masahiro Motoki como Daigo Kobayashi
Ryoko Hirosue como Mika Kobayashi
Kazuko Yoshiyuki como Tsuyako Yamashita
Tsutomu Yamazaki como Shōei Sasaki
Kimiko Yo como Yuriko Uemura
Takashi Sasano como Shōkichi Hirata
Tetta Sugimoto como Yamashita
Toru Minegishi como Toshiki Kobayashi
Tarō Ishida como Mr. Sonezaki

Curiosidades

O livro no qual o filme foi baseado



Coffinman: The Journal of a Buddhist, de Aoki Shinmon.

------------------------------------

* Dairo toca a Ave Maria de Charles Gounod (1818-1893) em certo momento da trama

----------------------------------

Joe Hisaishi o responsável pela trilha sonora de Okuribito.
-----------------------------------


Yôjirô Takita começou a carreira com os chamados 'pink films' (pornôs leves).

____________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário