quarta-feira, 15 de julho de 2009



SIMIÃO MARTINIANO
O CAMELÔ DO CINEMA: ED WOOD DO SERTÃO


Por Wendell Borges


Eu conheci o Simião através da revista SET e sempre admirei a força de vontade de pessoas como ele e Zé sozinho, que à sua maneira divulgam o cinema e a paixão que esta arte é capaz de provocar nas pessoas e com o incrível poder de transformar suas vidas. Para quem se interessar em conhecer um pouco da obra deste pernambucano arretado é só acessar as páginas e assistir aos vídeos postados abaixo.


----------------------------

Fonte: aterradaliberdade]
Um pouco da História do cineasta: Simião Martiniano da Silva, nasceu em União dos Palmares no ano de 1936. Aos dez anos Simião saiu de sua casa em busca da mãe. Ele tinha notícia de que ela se chamava Matilde Maria da Conceição e havia fugido por conta do marido alcoólatra. E uma curiosidade é que ficou sabendo que estaria em Colônia Leopoldina, também em Alagoas, por meio de um espírito que "baixou" num vizinho. Simião saiu de casa levando apenas um saco com algumas roupas e uma rede. Porém, quando Simião chegou à cidade, soube pelo padre que a mãe tinha morrido.

O padre acolheu Simião por uma semana, até que um capitão de campo, amigo do religioso, interessou-se por ele para que pudesse lhe fazer companhia. Simião foi, então, morar na Usina Santa Tereza, também em Colônia Leopoldina, com Manuel Gomes. Manuel Gomes tornou-se seu pai adotivo, mas aos 18 anos Simião brigou com a mulher do pai adotivo e resolveu ir para Recife.

Em Recife ele passou um bom tempo dormindo na garagem da casa do português Siqueira Campos, que lhe deu emprego de ajudante de pedreiro. Um ano depois conheceu Noêmia Lídia de Araújo, com quem teve cinco filhos e é casado até hoje. De ajudante de pedreiro, ele passou a pedreiro até chegar a mestre de obra. Aos 55 anos, Simião foi ser camelô. Trabalhou no Cais de Santa Rita, no Trianon, Mercado de São José e Rua da Palma, até chegar ao Camelódromo da Dantas Barreto.

Em 1974 fez um curso de cinema com o diretor Pedro Teófilo que estava filmando em Recife. Filmes o qual dirigiu: "Traição no Sertão" (1979), "Herói Trancado" (1988), "Rede Maldita" (1992), "O Vagabundo Faixa Preta" (1994), "A Mulher e o Mandacaru" (1996) e "A Moça e o Rapaz Valente" (1998).

Em 1998, os cineastas pernambucanos Clara Angélica e Hilton Lacerda fizeram um curta metragem intitulado "Simião Martiniano – O cineasta camelô", documentário sobre sua vida e no qual é o protagonista. Atualmente ele mora em Socorro, Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana do Recife. Seus últimos filmes foram em 2007 "A valise foi trocada", gravado em sistema digital e "O show variado" em 2008. [Fonte: aterradaliberdade]

----------------------------

Veja também:
1. Ficha completa do curta no portal Curtagora

Simião Martiniano - O Camelô do Cinema
Sinopse: O cinema na perspectiva de um cineasta-camelô alagoano, radicado em Pernambuco desde a década de 50 e que no Nordeste personifica a versão cabocla de Ed Wood.

Direção: Clara Angélica, Hilton Lacerda
Tipo: Documentário
Formato: 35mm
Ano Produção: 1998
Origem: Brasil (PE)
Cor / PB: cor
Duração: 14 min.

Trecho do curta-metragem
Simião Martiniano - O camelô do Sertão dirigido por Clara Angélica e Hilton Lacerda, PE, 1998





--------------------------------------------------------------------
Entrevista com Simião disponível no Youtube








____________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário