quinta-feira, 23 de julho de 2009


Valsa com Bashir
Vals Im Bashir
Direção e roteiro: Ari Folman
Tempo de Duração: 90 minutos
Ano de Lançamento (Israel / Alemanha / França / Finlândia / Suíça / Bélgica / Austrália / Estados Unidos): 2008
Site Oficial: www.sonyclassics.com/waltzwithbashir
Estúdio: Les Films d'Ici / Bridgit Folman Film Gang / Razor Film Produktion GmbH / ITVS / Hot Telecommunication / Arte France / Israel Film Fund / Medienboard Berlin-Brandenburg / New Israeli Foundation for Cinema and Television / Noga Communication - Channel 8
Distribuição: Sony Pictures Classics


Cotação:
Valor artístico: 1/2
Valor entretenimento/reflexão: [Observação:Bom, no caso de um documentário que retrata as tristezas da guerra, massacres de pessoas, fica até um pouco antiético dizer que o filme é entretenimento, no sentido de dizer que sentiu-se algum tipo de prazer nas imagens, neste caso, a cotação para o valor de entretenimento da película fica estritamente referida à beleza da animação em si, logicamente, pois tento combater o sentimento de prazer ao ver a desgraça alheia, sentimento que às vezes tenta invadir e confudir nossas sensações]

Por Wendell Borges - Filme visto dia 23/07/2009

Comentário: Eu gosto dos filmes que ao final me deixam com um aspecto de transe, com a sensação de que aqueles momentos ali diante das imagens e do áudio não foram em vão, mas trouxeram reflexão e aguçaram a imaginação, este foi o efeito da Valsa com Bashir (em hebraico ואלס עם באשיר - Vals im Bashir), documentário feito em forma de animação escrito e dirigido pelo cineasta Israelense Ari Folman, narrando suas memórias da guerra do Líbano durante os anos 80, entrevistando outros soldados e amigos, no envento que ficou conhecido como o massacre de Sabra e Shatila, na época negado pelo então Ministro de Defesa Ariel Sharon, que era responsável pela proteção aos Israelenses. Nunca entendi bem os conflitos entre Árabes e Judeus, mas como é difícil ver imagens de homens matando, dizimando outros homens, atirando no escuro, sem um motivo real, se é que existe um para justificar tais massacres; sentimentos de dor e vingança, o massacre de outras famílias, a luta por um território e as diferenças de culto religiosos. A poesia da animação entra em um choque grandioso quando imagens reais de arquivo mostram cenas do massacre. A animação foi lançada em 13 de maio de 2008 durante o Festival de Cannes e foi o 1º filme de animação a ser indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2008, perdendo o prêmio para o filme A Partida (Okubirito/ Departures), filme japonês dirigido por Yojiro Takita.


CURIOSIDADES E MAPAS



Mapa do Líbano que tem como idioma oficial o Árabe, tendo o Francês e o Inglês amplamente difundidos entre a população.

Prêmios

- Ganhou o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro.
- Ganhou o César de Melhor Filme Estrangeiro.
- Ganhou o European Film Awards de Melhor Trilha Sonora.



Ari Folman (1962), cineasta Israelense, diretor e roteirista da animação.

Imagem [Valsa com Bashir]






___________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário