domingo, 19 de abril de 2009


Koyaanisqatsi: Life out of balance, EUA, 1982, 86 mins
Direção: Godfrey Reggio (1940)
Roteiro: Ron Fricke, Michael Hoenig (1952), Godfrey Reggio e Alton Walpole

Cotação
Valor artístico: ½
Valor de entretenimento: ½

Por Wendell Borges - Filme visto dia 19/04/2009
Comentário: Tendo como um dos produtores o diretor Francis Ford Copolla e o compositor Philip Glass (1937) cuidando da trilha sonora, este documentário exibe imagens belíssimas de diversos cenários da paisagem natural e urbana dos Estados Unidos, incluindo a implosão do Edifício Mendes Caldeira, que deu lugar à Estação Praça da Sé, do Metrô de São Paulo. Realizado em 1983 com direção de Godrey Reggio que dirigiu ainda dois outros documentários no mesmo estilo, Powwaqatsi: Life in Transformation (1988) e Naqoyqatsi: Life as War (2002), Koyaanisqatsi usa as técnicas do slow motion e do time-elapse para cadenciá-las ao ritmo minimalista da composição sonora de Philip Glass. Veja um exemplo do time-elapse neste gif animado colocado no site wikipedia [http://en.wikipedia.org/wiki/File:GeraniumFlowerUnfurl2small.gif ].

Mesmo sendo inferior ao filme Baraka, produzido em 1992, tendo Ron Fricke como o diretor geral e de fotografia, este Koyaanisqatsi é um dos pioneiros na técnica e no estilo e portanto merece os créditos pela bela invenção e composição das imagens. Esse estilo de documentário sempre nos faz refletir sobre a vida em sociedade e a grandeza das invenções humanas. A palavra koyaanisqatsi tem origem na língua Hopi e quer dizer "vida desequilibrada", ou "vida louca".


Veja:
http://www.koyaanisqatsi.org/ [Site oficial da Trilogia]
Sobre o Minimalismo: http://pt.wikipedia.org/wiki/Minimalista

______________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário