domingo, 13 de setembro de 2009

O Cantor de Jazz, EUA, 1927, 88 min
Direção: Alan Crosland (1894-1936)
Roteiro:Alfred A. Cohn (adaptação) - Samson Raphaelson (Peça)

Wendell Borges - Filme visto dia 13/09/2009

Cotação
Valor artístico:
Valor de entretenimento:

Comentário: Finalmente parei para assistir o primeiro filme com passagens sonoras e faladas diretamente sincronizadas da história do cinema, o famoso O Cantor de Jazz com Al Jolson (1886-1950), realizado em 1927 com direção de Alan Crosland (1894-1936). Outros filmes utilizaram o som antes do cantor de Jazz, mas nenhum deles tinha passagens sonoras com diálogos e canções diretamente sincronizadas com a película. O filme recebeu um Oscar honorário por sua contribuição tecnológica e revolucionária à indústria cinematográfica em 1929.

Apesar do tom melodramático que pontua o filme ele é bastante agradável de se ver e funciona bem como drama, musical e tem até suspense no conflito final. A trama narra a trajetória de Jakie Rabinowitz (Al Jolson), filho de um Hazzan (do hebraico חזן cantor) judeu, que tem o sonho de se tornar artista da Broadway e tem na figura autoritária do pai, o cantor Rabinowitz, um impecilho para seus sonhos.


ELENCO / PERSONAGENS


[Mary Dale interpretada por May McAvoy consola o triste Jack Robin, papel de Al Jolson]
Curiosidade [Fonte - Wikipedia]: Na verdade sempre existiu a fala e o canto no cinema, pois em muitas das primeiras projeções os atores e atrizes cantavam escondiddos atrás da tela, como uma dublagem, assim como muitos pianistas ficavam a frente da tela, improvisando, enquanto a projeção dos primeiros curtas seguia. Por isto, O Cantor de Jazz é considerado o primeiro filme onde o som estava gravado, mas separadamente, tocando em um disco de acetato.


Outros Posters



________________________________________________________________

2 comentários:

  1. Já havia alguma pessoa mencionar o título deste filme em alguma ocasião que não me recordo, mas fiquei com muita vontade de assisti-lo depois de ler sobre a sua contribuição para a evolução do som no cinema.

    ResponderExcluir
  2. Al Jolson era um grande cantor e o filme é bastante envolvente.

    ResponderExcluir