domingo, 22 de novembro de 2009


Síndrome Astênica, Astenicheskiy Sindrom ,Rússia, 1989, 153 min
Direção: Kira Muratova
Roteiro: Aleksandr Chernykh - Kira Muratova - Sergei Popov

Wendell Borges - Filme visto dia 22/11/2009

Cotação
Valor artístico:

Comentário: A diretora russa Kira Muratova (1934) dirigiu em 1989 esta bela obra-prima na qual descreve com imagens poéticas um mundo caótico e desumano pontuado por dois personagens principais. No início, filmado em preto e branco acentuado com tons em cinza, acompanhamos o desespero e a loucura de uma médica chamada Natasha, papel de Olga Antonova, que não consegue se consolar ao perder o marido, a cena no cemitério é simplesmente sublime, uma das cenas mais realistas de um enterro que já pude assistir até hoje, até pensei que fosse um enterro real sendo filmado, mas quando a ficção revela-se descobrimos que tudo fazia parte do processo cênico extremamente bem realizado de Muratova. Quando o outro personagem principal da trama surge na tela passamos para o momento a cores da narrativa, o professor Nikolai, interpretado pelo co-roteirista Sergei Popov, sofre da tal síndrome astênica que dá título ao filme, e ao contrário da médica que explode em agressividade, ele simplesmente adormece não importa o barulho ou as situações que estejam ocorrendo ao seu redor. O filme exige paciência do espectador, mas o resultado é um filme simplesmente inesquecível cheio de imagens arrebatadoras como a do canil com cachorros e gatos abandonados, a cena do enterro e a cena final no metrô. É considerado um dos melhores filmes da Glasnost [Transparência] e da Perestroika [Reestruturação], período político que marcou a abertura da antiga URSS [1922-1991] com o governo de Mikhail Gorbatchev eleito em 1985.


Sinopse [Mostra internacional de cinema de São Paulo]: Após a morte de seu marido, uma mulher agride as pessoas na rua e no hospital em que trabalha até se consumir na loucura e na raiva. A agonia dura uma hora até que as luzes de um cinema se acendem e todos percebem que a mulher em questão era a protagonista de um filme. O diretor do filme tenta então iniciar uma discussão com a platéia, mas todos vão embora com exceção de Nicolai,um professor de inglês que dorme. Ele anda tão deprimido com a crise social e a incomunicabilidade das pessoas, que acaba morrendo de forma banal no metrô, enquanto as pessoas enfrentam as filas de racionamento.


A diretora Kira Muratova (1934)


Síndrome Astênica de Kira Muratova [Trecho]







____________________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário