sábado, 31 de dezembro de 2011


Só 10 por cento é Mentira: A Desbiografia Oficial de Manoel de Barros
de Pedro Cezar, Brasil, 2011, 76 min

Filme visto dia: 31/12/2011

Minha Cotação:

O olho vê, a lembrança revê, e a imaginação transvê. É preciso transver o mundo.
Manoel de Barros



Comentário: Último filme visto em 2011 este documentário narra alguns dos momentos da vida do grande poeta matogrossense Manoel de Barros (1916), e entre as poesias e criações literárias do grande mestre, alguns artistas plásticos vão sendo entrevistados contando como começaram a produzir suas obras de arte, obras estas que tem uma grande ligação com a obra literária do poeta matogrossense. O documentário é bastante criativo e cheio de lirismo, assim como é a obra de Manoel de Barros, considerado um dos mais originais poetas em língua portuguesa da contemporaneidade. Entre os entrevistados vários atores que interpretam sua obra através de encenações e recitais de poesia, o cineasta Joel Pizzini, a roteirista Adriana Falcão, além de seus filhos, da mulher Stella Barros e do irmão caçula Abílio Barros.

TUDO QUE EU NÃO INVENTO É FALSO [ Manoel de Barros]

CENA DO FILME: Manoel de Barros lendo a capa em francês de um livrinho de poesias de Samuel Beckett.



" quando se está enterrado na merda até o pescoço, a única coisa que te resta é cantar".
Samuel Beckett

-------------------------------------------------------------------------------------------------
Caramujo Flor de Joel Pizzini [Cineasta que realizou um curta-metragem baseado na obra de Manoel de Barros ] Ele participa do documentário dando seu depoimento sobre a literatura de Manoel de Barros.


Caramujo Flor from Pólofilme on Vimeo.

Ensaio de ficção poética que reinventa o itinerário da poesia de Manoel de Barros, a partir de uma colagem de fragmentos sonoros e visuais.


___________________________________________

Um comentário:

  1. Obrigado por ter posta a frase do Samuel Beckett. Estou nesse momento assistindo extasiado ao documentário e transcrevendo as fala do poeta. Essa era uma frase que eu estava com muita dificuldade de entender, obrigado.

    ResponderExcluir