domingo, 22 de abril de 2012




Por Wendell Borges
Data: 22/04/2012


Começei a ler hoje o Philosophy of Science Fiction Film editado por Steven M. Sanders.  Na capa uma cena do filme O Dia em Que a Terra Parou (1951).

Sobre o editor da Obra

Dr. Steven M. Sanders
Professor Emérito de Filosofia da Universidade Estadual de Bridgwater. (Universidade que fica localizada na cidade de Bridgewater, condado de Plymouth no Estado de Massachusetts)

Páginas: 240
Publicação: The University Press of Kentucky (November 11, 2009)

Obs: Esta é minha tradução livre da Sinopse do Livro diretamente do site da Amazon.Veja um trecho do livro no site da Amazon.com

O gênero ficção científica mantém uma relação notável sobre a imaginação e entusiasmo do público, cativando grandes audiências em todo o mundo e ganhando lucros cada vez maiores. Filmes de ficção científica cogitam a possibilidade de viajar no tempo e a visita de extraterrestres transportando-nos através da imaginação para mundos transformados pela ciência moderna e pela tecnologia. Eles também fornecem um meio através do qual questões como identidade pessoal, os juízos de valor, a consciência artificial, entre outras, podem ser acrescentadas na discussão. 

Neste A Filosofia no filme de ficção científica, os ilustres autores exploram as histórias, conflitos e temas da ciência em quinze filmes clássicos de ficção, desde Metropolis (1927) até Matrix (1999). O editor Steven M. Sanders e um grupo de proeminentes filósofos e estudiosos de cinema, levam a crítica do filme de ficção científica para um novo nível, penetrando na superfície dos filmes para expor os argumentos filosóficos subjacentes, perspectivas éticas e visões metafísicas. 

Na introdução Sanders apresenta uma visão geral e faz a avaliação de cada ensaio colocando questões para os leitores considerarem como pontos de partida de discussão sobre os filmes. Na primeira parte, "Enigmas da Identidade", lida com a natureza da humanidade tal como é retratada em Blade Runner, Dark City, Frankenstein, Vampiros de Almas e o Vingador do Futuro

Na segunda parte, "Aparições extraterrestre, Viagem no Tempo, e a Inteligência Artificial, os colaboradores discutem  2001: Uma Odisséia no Espaço, O Exterminador do Futuro, 12 Macacos e O Dia em Que a Terra Parou e analisam os desafios de inteligência artificial, os paradoxos das viagens no tempo, e a ética da guerra. A parte final, "Admirável mundo novo: futurismo e ficção científica," observações sobre as visões do futuro em MetropolisMatrix, Alphaville, e as adaptações cinematográficas da obra 1984 de George Orwel.



___________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário