segunda-feira, 15 de julho de 2013

Amadas e Violentadas

Amadas e Violentadas
de Jean Garret, Brasil, 1975, 100 min

Filme visto dia: 15/07/2013


Comentário: O ator, produtor e diretor David Cardoso (1943) foi um dos mais prestigiados componentes do cinema da Boca do Lixo atuando em diversos filmes e dirigindo 15 deles entre os anos de 1977 e 1987. Fez sua estréia como ator no filme de Mazzaropi, O Lamparina, dirigido por Glauco Mirko Laurelli  em 1964. Após seu maior sucesso atuando no filme A Moreninha de 1971, também dirigido por Glauco Mirko Laurelli, David funda em 73 sua própria produtora, a Dacar Produções e com ela passa a bancar seus próprios filmes. 

Em 1975 trabalhando novamente com o diretor português Jean Garret (1946-1996) estrela este filme policial no qual interpreta um escritor famoso chamado Leandro, que traumatizado pela tragédia que ocorreu com seus pais, Leandro flagrava constantemente a mãe traindo o seu pai, um homem impotente, que ao flagrá-la traindo-o, mata-a e suicida-se, ele acaba tornando-se um assassino psicopata vitimando várias mulheres com quem tenta se relacionar. O filme tem um ritmo lento e as atuações de David Cardoso e Fernanda de Jesus colaboram para um certo desinteresse do espectador em alguns momentos.

Há de se validar entretanto o esforço do diretor Jean Garret e do próprio David Cardoso em dar algum conteúdo estético e cultural ao longa, há momentos em que é possível detectar tentativas de inspiração em filmes de De Palma e Hitchcock, mas mesmo sabendo que a grande maioria destes filmes só fazia bilheteria com uma boa dose de erotismo, violência e humor eles mantiveram o ritmo do filme calcado na investigação policial e nas tentativas de dar ao roteiro uma visão psicologizante do serial killer. Vale destacar ainda a gratuita e mambembe cena com uma seita satânica, algo muito em moda na época em filmes de horror, mas forçosamente inserida no roteiro.


Elenco

David Cardoso


Fernanda de Jesus (1952)

______________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário