quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Quando Eu Era Vivo



Por Wendell Borges


Se vai ser um bom filme ainda não dá pra saber, mas vale a pena divulgar as investidas nacionais no gênero suspense. O pessoal da produção do longa tem me enviado alguns textos e links para divulgação e estou retribuindo a atenção fazendo aqui no blogue uma postagem sobre a obra. O destaque do trailer vai para a beleza fotográfica da Sandy, uma das protagonistas da trama. 

----------------------------------------------------------------------------------
Abaixo o texto de Divulgação Enviado por E-mail com os Posters em alta definição.


Dirigido por Marco Dutra, produzido pela RT Features, com distribuição da Vitrine Filmes, QUANDO EU ERA VIVO é um que longa fala sobre complexas relações familiares e a impossibilidade de recuperar o passado, sob um inusitado viés de suspense. O filme é baseado no livro “A Arte de Produzir Efeito Sem Causa”, de Lourenço Mutarelli. Os pôsteres do filme exploram a aura de mistério que permeia toda a trama:




Após um divórcio traumático, Júnior (Marat Descartes) busca abrigo na casa do pai, Sênior (Antonio Fagundes), com quem mantinha uma relação distante. Lá, nada lembra o lar em que viveu quando jovem. O pai se tornou um homem estranho, rejuvenescido à base de exercícios físicos e bronzeamento artificial. Os objetos e fotos da mãe, morta há alguns anos, foram encaixotados e trancados no quartinho dos fundos. No quarto que dividia com o irmão, Pedro (Kiko Bertholini), agora vive a inquilina Bruna (Sandy Leah), jovem estudante de música que veio do interior para se formar. Após encontrar objetos que remetem ao passado e à sua mãe, Júnior desenvolve uma obsessão pela história de sua família e tenta recuperar algo que aconteceu em sua infância e que, até hoje, o assombra.


O elenco de QUANDO EU ERA VIVO conta com nomes como Antonio Fagundes, Sandy Leah e Marat Descartes, este cada vez mais consolidado como um dos grandes atores do cinema nacional contemporâneo – ele trabalhou anteriormente com Marco Dutra e Juliana Rojas em “Trabalhar Cansa” (2011), e ganhou o Kikito de Melhor Ator no 40o Festival de Gramado, em 2012,  por sua atuação no longa “Super Nada”. “Um nome que sempre esteve presente foi o do Antonio Fagundes. Ele sempre foi o personagem do pai. Marco fez excelentes sugestões, como a Sandy e o Marat, que tem com ele uma parceria de longa data”, conta o produtor Rodrigo Teixeira, da RT Features; “Foi uma mistura bem sucedida”.

FICHA TÉCNICA:
QUANDO EU ERA VIVO
Baseado no livro “A Arte de Produzir Efeito Sem Causa”, de Lourenço Mutarelli
Direção: Marco Dutra
Produção: Rodrigo Teixeira
Produção Executiva: Raphael Mesquita
Roteiro: Gabriela Amaral Almeida e Marco Dutra
Direção de Fotografia: Ivo Lopes Araujo
Direção de Arte: Luana Demange
Figurino: Diogo Costa
Maquiagem: André Anastácio
Montagem: Juliana Rojas
Comontador: Bernardo Barcellos
Desenho de Som: Daniel Turini e Fernando Henna
Mixagem: Paulo Gama
Som Direto: Gabriela Cunha
Música: Guilherme Garbato, Gustavo Garbato e Marco Dutra

Elenco: Antonio Fagundes, Marat Descartes, Sandy Leah, Gilda Nomacce, Kiko Bertholini, Helena Albergaria, Rony Koren, Tuna Dwek, Lourenço Mutarelli, Eduardo Gomes, Lilian Blanc, Carlos Albergaria e Marc Libeskind


Link fotos: http://paulacferraz.minus.com/mbnHmuCt562EVC

Link trailer: http://youtu.be/beAZlDDuZPE

Distribuição: Vitrine Filmes
Estreia: 31 de janeiro de 2014

Classificação etária: 12 anos

_____________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário