domingo, 6 de abril de 2014

From the Journals of Jean Seberg


From the Journals of Jean Seberg
Direção: Mark Rappaport, EUA, 1995, 95 min

Minha nota: 10,0

Ontem vi este fascinante documentário no qual a atriz Mary Beth Hurt (1948) interpreta a lendária Jean Seberg (1938-1979), estrela do filme Acossado (1960) de Jean Luc Godard e de filmes como Santa Joana (1957) e Bom dia, Tristeza (1958) de Otto Preminger. Dirigido por Mark Rappaport, o documentário traz brilhantes digressões sobre o efeito kuleshov, e reflexões sobre a arte de atuar divagando sobre as carreiras de Brigitte Bardot, Vanessa Redgrave, Jane Fonda, Romy Schneider e Clint Eastwood enquanto narra a vida e a carreira de Seberg, uma das mais enigmáticas atrizes do cinema. Um dos fatos curiosos revelados durante o filme é o momento em que Jean Seberg (Mary Beth Hurt) diz que o sogro dela foi nada mais nada menos que o ator Ivan_Mozzhukhin (1889-1939), famoso por ter sido usado nas experiências do russo Lev Kuleshov, o fato aconteceu porque Jean Seberg foi casada com o escritor Romain Gary (1914-1980) que alegava ser filho do famoso ator russo. Gary é conhecido por ser o autor do romance Chien Blanc/Cão Branco que deu origem ao filme homônimo de Samuel Fuller em 1982.






_______________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário