terça-feira, 19 de maio de 2015

Mad Max: Estrada da Fúria (2015)


Mad Max: Estrada da Fúria, EUA, 2015
Direção: George Miller


   Vertiginoso e com uma carga de intensidade que poucos filmes de ação da última década podem se dar ao luxo de ter, e ainda por cima tem uma atuação brilhante da sempre charmosa Charlize Theron. O Mad Max de Tom Hardy não decepciona, mas é completamente engolido pela presença de Theron e pelo peso que é dado à sua personagem na trama, talvez nos próximos longas o Mad Max seja encarado como real protagonista. 
   O diretor australiano George Miller (1945) aos 70 anos mostra que ainda tem fôlego para ressuscitar a franquia que lhe trouxe cartaz nos Estados Unidos quando dirigiu o primeiro longa em 1979 e de quebra apresentou o hoje apagado Mel Gibson. Vale elogiar a primorosa fotografia de John Seale, que parece ser um especialista em fotografar paisagens desérticas. Ele que já ganhou um prêmio Oscar por seu trabalho no filme O Paciente Inglês (1996), além de ter recebido outras quatro nomeações ao longo de sua carreira. A trilha sonora também merece destaque, assinada por Junkie XL, nome artístico do DJ holandês Tom Holkenborg, intensifica as cenas de suspense e ação de forma acachapante. 

   Quando comecei a investigar as mentes por trás da produção percebi a quantidade de gente talentosa e oscarizada trabalhando no longa, a responsável por assinar o figurino é a Jenny Beavan, vencedora de um oscar em 1987 pelo longa Uma Janela para o Amor, além de ter recebido outras 8 indicações ao longo da carreira. Não é à toa que Mad Max já desbancou o fraquinho Vingadores: A Era de Ultron em bilheteria de estréia aqui no Brasil, atraindo mais de 600 mil pessoas e arrecadando mais de R$ 10 milhões só aqui no Brasil.


Fontes consultadas
Portal G1
IMDB




___________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário